jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Acorda Cachoeira!


Saia alguns dias daqui e perceberá como nossa cidade é modorrenta. Combina demais com o clima atual. Chega a ser cansativa. GG e seu governo são assim. Terminaram de fato em março de 2012. Apenas cumprem tabela. Sequer o trabalho voluntário prometido, cumpriu. E poderia ter feito com galhardia, lá no mesmo plantão. Todos nós o aplaudiríamos. Mas não. O Plantão do SUS segue com sua novela interminável. O prefeito eleito diz apenas que assim não pode continuar, mas afirma também que não sabe bem o que irá fazer. E as notícias seguem sendo sempre as mesmas. Ler os jornais da semana é como reviver as páginas do passado. São sempre as mesmas. Até a Avenida Brasil, esburacada como um queijo suíço, ajuda a compor o cenário. Pó e lixo transformam a nossa paisagem em uma cidade depressiva. Parece parada no tempo. É uma cidade tombada e sem preservação. Falta apenas uma lei municipal instituindo a siesta. E parece que assim continuará. Uma pena, mas o diário de hoje eu já li há 25 anos.
Tarso
Alguém sabe me dizer qual foi o resultado prático da viagem do governador para Cuba e para Paris? O custo das diárias, no entanto, foi astronômico. Para que, mesmo?
Diversidade
O desfile trouxe alegria a uma terra cada vez mais triste e sombria. Eventos assim servem sempre para enterrar um pouco mais o preconceito existente entre nós.
Padre Chagas
Ir a POA e não frequentar a badalada rua é um desperdício de tempo. Seus restaurantes e os bares e cafés com mesas nas ruas, envoltos por grandes árvores, tornam o lugar único. Imperdível.
Black-tie
A capital retomou o uso das sofisticadas roupas. Cada vez mais as festas exclusivas exigem estes trajes. Aniversários são comemorados em grandes festas privadas. O luxo parece que se tornou rotina, para um grupo cada vez maior de pessoas.
Livros
Comprei e comecei a ler “Como um bom garoto se misturou com os Rolling Stones e sobreviveu para contar”, de Bill German. E terminei de ler - e recomendo a todos - “Mick Jagger”, de Philip Norman.
Feira do Livro
Sucesso mesmo, em POA, são os tons de cinza. Agora, o da liberdade. Maridos com cara torta e mulheres faceiras era o que mais tinha por lá. Diverti-me muito.
Populismo jurídico
Não sei, mas me sinto cada vez mais inseguro depois do julgamento do STF e das decisões infundadas da nossa mais alta corte. Essa agora de reter os passaportes é muito mais uma jogada midiática do que qualquer outra coisa.
Aluguel de bikes
Para quem gosta esse é um programa legal de se fazer na capital. Principalmente se você quiser andar pelo centro histórico nos finais de semana. É um belo passeio com um custo quase zero.
Obama
A vitória dele pode não significar nada para nós, de imediato. Mas por certo tem um significado importante para o mundo: um pouco mais de paz! Por isso, muitos comemoraram.
Noite
Para os noctívagos e para aqueles que cresceram ouvindo estórias da noite porto-alegrense, recomendo o livro “Na ponta da agulha”, do DJ, cineasta e radialista Claudinho Pereira. É o registro da invenção da Porto Alegre boêmia. Vale a pena.
Praia Nova
Espero sinceramente que a nossa prainha esteja em condições o mais rápido possível. Como o calor promete, essa é uma opção de lazer para o cidadão cachoeirense.
Ativismo digital
Por que será que na América Latina o ciberativismo ainda não está na origem das mobilizações de massa? Essa é uma pergunta que cabe à esquerda responder.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Novo jeito de governar


A cidade vai compreender aos poucos como funciona uma administração petista. Algumas são boas. Outras ruins. Mas todas, sem exceção, são os reflexos do seu partido no local onde administram. Quando convidam Neiron e Mariana para um café ou um churrasco, achando que podem articular alguma coisa individualmente, não compreendem que as decisões são sempre do coletivo. Ou seja, tudo aquilo que for programático será realizado depois de ouvido o diretório local. Não elegemos apenas Neiron e Mariana. Elegemos o PT e seu programa político, para governar a cidade. Isso nunca aconteceu antes por aqui. Vejam como GG e Marlon se comportam. Atitudes personalistas e individuais são a tônica de suas atuações. A partir do ano que vem isso não mais acontecerá. Como disse, pode ser bom ou ruim. Depende do conjunto
Tendências

Como ganhou no susto, os então candidatos petistas não negociaram internamente. Por isso passam o tempo inteiro reunidos. Num primeiro momento terão que acomodar as forças internas, antes de buscar apoios externos. E a briga é de facão.
Cargos

Muitos pensaram que teriam seu espaço com o PT. Podem até ter. Mas antes terão que se filiar no partido. Terminou por aqui essa história de ser governo e oposição ao mesmo tempo. Aliança no dedo. Sempre.
Saúde

O nome que Neiron tinha para o cargo levou uma bola preta de importantes setores da sociedade. O partido terá que buscar outro filiado.
Secretarias

Não há nenhuma dúvida que todas as secretarias e seus respectivos CCs serão reativados. Colocar o maior número de filiados na administração pública significa impor seu programa político como também contribuições financeiras para o partido.
Maioria

Por que tanta preocupação em arranjar maioria na Câmara? Alguma vez os vereadores deixaram de aprovar alguma coisa de bom para o município? Ou quem sabe projetos mirabolantes possam entrar na pauta?
PDT e PSB

Os dois partidos só ingressam no governo se efetivamente tiverem voz na administração. Compor por cargos, não faz parte do projeto de ambos. E para tanto exigirão secretarias do tamanho de sua representação.
Oposição

Quando se perde uma eleição, é porque a população não o quer na administração. Ingressar pela porta dos fundos é canalhice. Esperamos que os não escolhidos cumpram o papel institucional de fiscalizar.
PMDB

Alguém tem alguma dúvida que o partido não fique na oposição? Ninguém tem o direito de imaginar que os peemedebistas, alijados do governo petista de GG, rasguem o seu discurso. Pensem isso de qualquer um. Menos deles.
Agronomia

Por que Neiron disse na campanha que esse era um projeto petista, e no dia da decisão sequer buscou articular? Será que perdeu o celular de Tarso? Esperava uma participação mais ativa dele. Mas no dia D, no mínimo, se omitiu.
ACAPróceres petistas demonstraram alegria com a derrota da ACA. Está lá no Facebook. Juro que não entendi. Vão ideologizar o futsal? Menos, não é?
Câmara

Defendi 15 vereadores. Mas não concordo com um assessor por vereador. É demais. Nem antes, nem agora e nem nunca.
Scopel

Sempre viajei e revisitei lugares lendo a sua coluna. O JP perde um de seus melhores cronistas. Uma pena. Sorte é de quem pode ainda privar de sua inteligência.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Tons de Cinza ( Coluna de hoje no JP )



Já tinha escrito por aqui um tópico sobre o livro. É o hit da primavera. Seja aqui, em POA ou em SP, o assunto entre as mulheres é o mesmo: o livro "Cinquenta tons de cinza". Quem não leu, ainda irá ler. Outro fato interessante é que independe da idade das mulheres. Apelidado de “pornô para as mamães”, na verdade atingiu todas as faixas etárias. Um simples post no meu Facebook gerou mais de 40 comentários em um final de manhã de sábado. Não nego. Eu li. E não achei nada de mais. O que me intriga é o porquê de toda a discussão. Preliminarmente me parece que as mulheres estão sim insatisfeitas com os homens. E em todos os sentidos. Muitos passam as noites fora de casa, quase que durante toda a semana, sejam em reuniões ou em simples jogos de futebol. E elas ficam abandonadas em casa, cuidando dos filhos e muitas vezes acumulando afazeres domésticos. Isso não significa que estejam propensas a trair. Mas desejam ser desejadas. E em especial, por aqueles que escolheram viver, senão por toda a vida, por um bom pedaço dela. Percebo isso nas conversas. Achar que as mulheres de hoje não possuem desejos além daqueles tradicionais é desconhecer a realidade feminina. A sexualidade deixou de ser um tabu. E passou a ser sim um assunto de interesse latente. Compreender isso passa a ser essencial. E talvez isso explique por que elas desejem tanto um Cristian Grey... 
TrilogiaPara quem não está inteirado sobre o assunto na verdade trata-se de uma trilogia: "Cinquenta tons de cinza", "Cinquenta tons escuros" e "Cinquenta tons de liberdade". E a autora é E.L. James.
Outras obrasPara quem se interessa sobre o tema, existem clássicos que para o meu gosto possuem uma narrativa mais interessante. Estou falando de "História de O", "Delta de vênus" e dos clássicos "Relações perigosas" e "Anti-Justine".
E-booksPara quem gosta de ler na cama com seu net ou tablet, editoras americanas e brasileiras relançam clássicos no formato digital. O mercado percebeu que no nicho erótico o e-book é um bom produto. 
Vários tonsAs mulheres não são iguais. E seu universo é muito instigante. Recomendo o livro "Como ser mulher", que há pouco foi traduzido para o português. Nele, Caitlin Moran discute vários assuntos do universo feminino, de seus 13 anos até a idade adulta.
E os homens?Nessa coluna, que virou quase uma ode ao feminismo, reputo que para nós cabe o papel de estimular a mulher a compreender a sua sexualidade, oportunizando que a mesma seja honesta no que realmente quer e naquilo que espera de seu companheiro. Esse passa a ser o novo papel. Deixar de ser machista, nunca é fácil para nós.
HilárioDentro de todo esse sucesso, o que mais causa espanto é que de uma hora para outra os acessórios eróticos praticamente desapareceram das grandes redes. O sucesso é tanto que até as lojas de ferragens, na Inglaterra, atestaram um aumento de 20% no volume de cordas vendidas, depois do sucesso do livro. 
O sucessoAs mulheres procuram homens (aquelas que procuram) que realmente as satisfaçam em todos os sentidos. Um macho-alfa. As mulheres se envolvem muito mais pelo que ouvem do que pelo que veem. E é isso que acontece na história.
Queima de livros
Nunca vi nada democrático resultar da queima de livros. Em Ohio, homens queimaram exemplares dizendo que suas mulheres só querem saber dos livros e deixaram de lhes dar atenção. Não seria o contrário?
LivrosIndependente se o livro é bom ou ruim, o que importa é que conseguimos atrair mais leitores. Sempre vejo dessa maneira. Seja por E. L. James ou por Paulo Coelho. O importante, nesse momento, é fazermos as pessoas gostarem dos livros.
 

domingo, 28 de outubro de 2012

PDT

Ainda é cedo para falar de alianças. Mas não acredito, hoje, em uma composição PDT e PMDB. Ainda mais se o PMDB for cabeça de chapa. Até porque em caso de sucesso, seria muito difícil para Fortunatti ser candidato em 2018.

Aposto ainda numa composição com o PT, com os trabalhistas indicando o vice. De resto, é charminho. Não abrirão dos cargos e dos espaços que ocupam no governo estadual.

BENTO GONÇALVES


Centenas de pessoas protestam na frente da prefeitura de Bento Gonçalves, no final da tarde desta sexta-feira. O ato foi organizado pelo Facebook.

Os manifestantes empunharam cartazes e utilizam apitos e cornetas. Um carro de som também é utilizado. Eles pediram esclarecimentos sobre a suspeita de desvio de verba pública na administração municipal.

O rombo teria ocorrido na Secretaria Municipal de Finanças. O Ministério Público (MP) e o Tribunal de Contas do Estado investigam o caso.

Em entrevista na manhã desta sexta-feira, o prefeito Roberto Lunelli atribuiu a ex-secretário e ex-contadora a responsabilidade por problemas na Secretaria de Finanças.

Talvez espere que a justiça lhe dispense o mesmo tratamento que foi dado a Lula, no caso do mensalão.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Menos um combatente



A partida do Tiago Jaime Machado, deixará a cidade mais conservadora que ainda é. Lembro dele chegando, no ano passado. Sempre com um lenço "palestino", tapando o rosto, todas as vezes que os fotógrafos dele se aproximavam. O Ferrony, seu irnão de fé, dizia que estávamos diante de uma usina de idéias.

Realmente é assim que eu o enxergo. E talvez seja isso que a cidade não tenha compreendido. Um homem com idéias diversas, algumas revolucionárias. Mas como eram muitas, as pessoas por certo não conseguiam se apropriar a tempo de efetivar as ações que eram necessárias. Essa lógica do tempo, para quem mora em grandes centros, é diversa aqui no interior. Tudo em nossa cidade é mais lento. Leva mais tempo, para ser executado e entendido.

Mas isso não faz dele e de suas idéias um derrotado. Pelo contrário. É um vencedor. Foi capaz de plantar sementes em um solo árido. Conseguiu inclusive, conceber um coletivo de bicicletas, que está aí vivo e pulsando e que por certo assim continuará por muito tempo. Tivemos, mesmo fugazmente, uma rádio alternativa, que embalava as nossas noites, com músicas e programas que mexeram com a cabeça da gurizada.

O centro de inovação social merecia mais tempo. Levou-se um tempo para se entender bem o que era aquilo. Muitos pensavam que era um lugar para se beber e se divertir. Quando na verdade aquilo foi concebido para ser um local de discussão. Mas os jovens que por ali chegavam não entendiam muito bem isso. Tipo " como assim ler? não tem bebida? então larguei"...infelizmente ele se deparou com isso...E a idéia de um estúdio comunitário, acabou nem saindo do papel...

Ser um anarquista em um tempo que os jovens ingressam na política, não por idealismo, mas por dinheiro, é difícil. Isso por certo frustra. As pessoas não sabem o que querem. O sentimento dele por certo não é de decepção. Mas de alívio. Voltou a sua terra. Viveu em condições precárias. Fez o que tinha que ser feito. Voltar para SC é voltar para a luta. Até porque ela não é territorial. É globalizada. E por certo, donde quer que se esteja, as palavras e as ações serão sentidas. Gostaria e muito que permanecesse. Ajudei naquilo que pude. E tenho certeza que fará muita falta por aqui.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Toma lá, da cá!


Quando li não acreditei. Até porque acho que conheço Neiron o suficiente. Mas fiquei estupefato, porque o mesmo não desmentiu. Ora, em semana de condenações exemplares aos caciques petistas no mensalão, iniciar uma política rasteira de distribuição de cargos para vereadores a fim de conseguir maioria legislativa é por demais temerária. Como já estive do lado de lá do balcão, sei exatamente que de nada adianta dar CCs a vereadores isoladamente. Se conquista aliados, com uma política de convencimento programático. E deve-se buscar o apoio partidário. Nunca o apoio isolado. E por uma razão óbvia: na hora do pega eles sempre deixam o governo na mão. Acima de tudo, no entanto, espero que o governo reflita sobre os motivos de sua vitória e não caia na tentação da velha política. Na minha concepção, o melhor é compor com a sociedade. 

Perguntinha
Quando a população elege alguém, deixam outros na oposição. Por que então, agora, todos querem entrar para o governo? O nome disso é falta de vergonha.
GG II
O atual prefeito foi decisivo na vitória. Por isso, manterão o núcleo duro. O problema disso é que teremos uma continuidade de governo. E os erros de GG serão de Neiron, também. Portanto, sem blindagem.
MinoriaA eleição do PT acirrará o sentimento antipetista na cidade? Depende. Mas não podemos esquecer que teremos 53.000 eleitores, potencialmente contra o governo.
OposiçãoPP deverá ser, junto com o PMDB e PSDB, oposição. Espero que o façam de forma inteligente. Apoiando as boas ideias e fiscalizando de perto as ações administrativas. E esse é um papel por demais relevante e importante para a sociedade.
Ficha Limpa
Não foi só a Justiça quem aplicou a lei. A sociedade também fez a sua parte. Foram eleitos, na grande maioria, no Brasil, candidatos que não tinham nenhuma mácula em seu passado.
Erro fatal
Ao silenciar sobre a panfletagem e ao permitir que se distribuíssem cópias de uma coluna, Trojahn perdeu a eleição. O eleitor do centro da cidade o abandonou e optou por quem apenas apresentou propostas. Tremenda burrice.
Primeiras ações
Coleta de lixo, transporte coletivo e UFSM serão os primeiros temas que o governo eleito irá se debruçar. Sobre os dois primeiros, o respeito às mais caras tradições petistas implicarão em transformações.
ProfessorMais uma data sem nada para comemorar. Aliás, o prefeito eleito pouco falou sobre o tema. Espero, no entanto, que não faça como seu companheiro Tarso e pague o piso ao magistério municipal. 
MarlonCertamente o sentimento de traição que permeia as hostes pedetistas retirará o deputado de sua zona de conforto. Aliás, pegou muito mal o apoio duplo. Um meramente institucional ao Trojahn e uma forte investida em favor de Neiron, às escondidas. Ficou feio para ele.
OscarA derrota nas eleições majoritárias demonstrou que o mesmo possui um teto. E se não fosse a parceria com o PP, sua derrota poderia ser mais significativa, porque nos bairros mais pobres, onde se pensava imbatível, perdeu para Neiron.
BalardinO discurso radical não emplacou. As pessoas estavam satisfeitas com o governo. Aliás, já havia dito isso por aqui. Para mim GG era imbatível.
LucianoPerdeu mas venceu. Cansei de ouvir que era o candidato mais preparado de todos. Não conseguiu transformar sua popularidade em votos. Mas a sua ética, antes e agora, quando reafirma sua condição de oposição, o cacifa e muito para 2016.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Coluna de Segunda no Jornal do Povo



O que esperar do PT?

Tenho absoluta certeza que no governo petista de Neiron e Mariana não faltará honestidade, transparência e respeito à crítica. Essa é antes de tudo uma característica deles. O que tenho notado e muitas pessoas também comentam, é que o governo parece já nascer velho. A transição antecipada tem feito que Neiron passe a responder por problemas do atual governo, nos quais ele, em tese, não possui nenhuma ingerência. Como no caso do plantão do SUS. Isso não é bom. Essa exposição desmedida e essa ânsia em assumir e apresentar soluções importa, necessariamente, em ter que dar continuidade a um governo que terminou em outubro de 2011, quando GG disse que não concorreria à reeleição. Quando chegar janeiro, não teremos nada de novo. Apenas um GG II. E isso fica cada vez mais evidente quando o prefeito, inteligentemente, repassa os problemas para os “novos administradores”. Erra, novamente, o prefeito eleito. Ainda mais quando permite que um quadro importante seu assuma cargo de CC em final de governo. Salvo se pretende continuar com tudo o que está aí.
Mariana
Tenho uma expectativa muito grande em relação a ela. É, em minha opinião, o melhor quadro petista. E a vitória nas eleições passou e muito pelo seu nome. Muito pelo fato de ser mulher, mas também pelo seu trabalho de base. Vai longe! E sempre com a minha torcida.
UPA
Até agora, onde houve sua instalação, apenas gerou problemas. Em Vacaria, por exemplo, onde meu irmão por lá trabalhou na sua implantação, a crise é permanente. Assim como em POA, na zona norte. Portanto, não se espere muito...
Voluntarismo
Essa do GG e de seu filho se disporem a fazer trabalho voluntário na UPA foi de doer. Saúde é coisa séria. E não se admite amadorismos. O certo é que Neiron não precisa desse fantasma lhe assombrando.
Saúde
Inicia-se a resolução dos problemas com trabalho de base. E o primeiro passo é remunerar decentemente os médicos. Só assim os atrairemos para a nossa cidade. O segundo é evitar que o paciente percorra três vezes o sistema. Isso se faz com informatização. E a médio prazo.
Lixo
Tenho expectativa positiva nesse item. Por certo, teremos enfim um plano municipal de resíduos, que implicará por certo em economia aos cofres públicos. E que a parceria com os catadores seja ampliada e melhor sistematizada.
Transporte coletivo
Esse será o grande nó da nova administração. Já em 2013 precisará notificar a TNSG de sua intenção em licitar. Isso todos fariam. Tenho curiosidade em saber de que forma isso será feito e qual o modelo que irão apresentar. Não vejo nos quadros atuais gente capacitada para tal. E se errarem, a discussão judicial será interminável.
Agricultura
Esperamos e muito desse governo, nesse ponto. E espero uma atenção especial aos novos segmentos que surgem, em especial à fruticultura. Diversificar e propor alternativas são uma tarefa importante no processo.
Alerta
Verbas federais sempre dependem de contrapartida. E parem de falar em setor de projetos. Isso é uma falácia. O que se precisa é uma política de projetos, comandada por um secretário de planejamento decente. Só assim os recursos virão. Sejam dos ministérios ou de emendas parlamentares.
Governança
Se quiser inovar, realmente, seria importante criar uma nova secretaria gerenciadora dos programas de governo. Um gabinete de gestão, com caráter multidisciplinar facilitaria e muito o acompanhamento de todas as metas traçadas.
Legislativo
Por fim, espero que a relação seja ética e transparente. E que a base seja conquistada de forma programática. Isso se faz com o ingresso dos partidos no governo. E não com simples troca de favores.

sábado, 20 de outubro de 2012

As mulheres mudaram



Fico impressionado, ainda hoje, que os homens não percebam as mudanças do tempo. Muito embora lidem com IPHONES, IPADS e outras bugigangas eletrônicas, não pararam para analisar que os interesses das mulheres mudaram. Há muito tempo. Mas com uma velocidade ainda maior, nos tempos atuais.

Se antes elas se interessavam por relacionamentos duradouros, hoje elas até podem continuar pensando nisso, mas desde que possam desfrutar da liberdade. Sim, esse se tornou um substantivo muito caro para a mulher moderna. Claro que isso está intimamente ligado a sua independência econômica. Quanto menos depende do companheiro, mais livre ela é e quer ser.

Mas de que liberdade estamos falando? Bem isso depende do grau de maturidade da mulher e da relação em que ela está mantendo no momento. Mas posso garantir que ela vai do simples prazer de gastar o seu dinheiro onde bem quiser, de sair com as amigas sem o companheiro ou até fazer sexo casual. Não acredita? Pois eu conheço inúmeras mulheres, que hoje estão solteiras por opção (ou por falta de). Não suportam relacionar-se com alguém que venha a lhe tolher a sua liberdade e seus desejos mais íntimos. O sexo casual é sim uma opção cada vez maior das mulheres independentes. Sejam casadas, noivas, namoradas ou solteiras. E será assim daqui para frente. 

Aos homens restará entender esse novo fenômeno libertário. E se resolver não entender, encontrará cada vez mais mulheres solteiras...Ou quem sabe cada vez mais mulheres, tendo como companheiras, outras mulheres. Pois como me disse uma amiga, homem é um bom objeto sexual, mas nada como outra mulher para ir a uma loja, comprar maquiagens e até chorar no cinema...São os sinais dos tempos. E para muitos, o prenúncio do fim do mundo.

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Por uma cidade moderna


Era isso que eu gostaria de ver ser debatido nessas eleições. Que o debate fosse progressista, e não demagógico. Não aguento ouvir falarem o tempo todo em atrair indústrias, resolver o problema da saúde (sic) e asfaltar vias. É o mesmo discurso do tempo do Honorato de Souza Santos. Por isso a cidade não avança. São demagógicos e conservadores. Querem que as coisas fiquem como estão. Olhem a educação. Só discutem. Mas só isso basta? E o acesso à tecnologia? E o aprimoramento de nossos educadores? O que está sendo proposto em gestão de recursos hídricos? Não vivemos à margem de um rio? Continuaremos não tendo nenhuma política pública consistente na área da mediação de conflitos, envolvendo a segurança pública? E na área do entretenimento, continuaremos fechando ruas e incentivando os jovens a beberem nos postos de gasolina? E para os idosos, nada? E as mulheres? E as crianças? São tantas as coisas que precisam ser feitas... Inovação é a palavra de ordem. Modernidade, o nosso horizonte... Acho tudo o que se discute importante, mas não é só isso que precisamos. Precisamos mais e melhor. E essa era uma discussão que precisava estar na pauta nessas eleições. Mas, se não está, não é só por culpa dos candidatos. É da população, que não questiona. E é também da imprensa, que, para vender anúncios, só tem olhos para os problemas imediatos e não possui capacidade de propor discussões mais aprofundadas. Daqui a quatro anos, por certo, a pauta será a mesma. 
VadiasO que significa uma mulher “vadia”? Exatamente o conceito arraigado de machismo perpetuado em nossa sociedade. Ou seja, mulher independente, que não gosta de apanhar do marido, que tem opinião própria, que vota livremente ou que quer ser votada, por certo, será chamada de vadia.
Porto AlegreSe não chegar ao segundo turno, é muito forte dentro do PT a posição de não apoiar Manuela. Na verdade, a ideia é manterem-se “neutros” (torcendo por Fortunatti). Com isso, no entanto, desagradarão PCdoB e PSB. 
ComerciáriosOs supermercados não estão obrigados a fechar todos os domingos à tarde. Basta apenas que paguem hora extra a seus funcionários. A partir de agora, acabou-se, ao menos em duas tardes dominicais, a exploração desmedida contra os trabalhadores. Parabéns à equipe do sindicato.
Caminhão-som
Chama a atenção na cidade caminhão de determinado candidato a prefeito que sempre está com o som desligado. Por certo é uma nova estratégia de marketing, eis que os jingles de todos são deprimentes. 
JornaisNessa eleição não há apoio explícito a nenhum candidato. Mas às vezes dá a entender que ambos torcem pela derrota de um. Mas deve ser apenas impressão.
InternetEm recente pesquisa, 72% dos entrevistados disseram não ter assistido aos programas eleitorais de TV e 62% buscam na internet informações sobre os candidatos. Por aqui, apenas um se deu conta disso.
UergsComo professor da Uergs, quero agradecer ao Julinho, ao Marcelo, ao Oscar, ao Neiron, a Mariana, ao Figueiró, ao Balardin, ao Valdocir, ao Vasconcelos e ao Paixão pelo apoio emprestado à doação da área do Patronato. Entram, sim, para a história da concretização do curso de Agronomia, junto com GG, Tonet e equipe.
SugestãoSe eu fosse candidato, ao invés de plaquinhas, colocaria “cestos de lixo seco”esparramados pela cidade, contribuindo com isso com a limpeza da mesma. Fica a dica.
SaúdeSó espero, sinceramente, que o próximo prefeito seja um bom gestor do sistema e o aprimore. Porque tenho convicção de que a secretária Eunice Brendler e a sua equipe fazem, sim, um bom trabalho na sua pasta e, portanto, não há terra arrasada.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

II Ciclo de Palestras da UERGS

Tivemos na noite de ontem a palestra inaugural do II Ciclo de Atualizações da UERGS local. Com grande presença de alunos e membros da sociedade civil, o tema de abertura  foi Cooperativismo e Associativismo: Atualidade das Organizações agrícolas no contexto do Ano Internacional do Cooperativismo.  Logo a seguir foi ofertada também uma oficina intitulada: Atualizações sobre Leis e Workshop de Elaboração de Estatutos para Organizações sociais rurais. O palestrante foi o Prof  Paulo Vianna Lopes, Analista Técnico do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Sistema OCERGS-SESCOOP/RS.

O ciclo é coordenado pelo editor desse blog e pela Prof. Dra. Gisele Guimarães.

Doação da área do Patronato

Em sessão realizada nessa segunda-feira, a Câmara de Vereadores, com o apoio de todos os seus membros, acolheu projeto do executivo cachoeirense e concordou em doar a área do patronato para a UERGS, para que lá se iniciem as aulas do curso de Agronomia.

Vitória da comunidade, dos professores e dos alunos da UERGS, sem antes mencionar o apoio incondicional do executivo cachoeirense.

domingo, 2 de setembro de 2012

Manuela foca em gestão ( do site da Folha)


A candidata do PC do B, Manuela D'Ávila, 31, se afastou dos embates ideológicos que marcaram eleições em Porto Alegre e investe em motes como "gestão", "inovação" e "tecnologia".
A deputada federal licenciada empatou tecnicamente na liderança com o prefeito José Fortunati (PDT), segundo o Datafolha. Reduziu pela metade os oito pontos de dianteira que o rival tinha.
Antes da campanha, a candidata afirmou que "pouquíssimas questões do município" se decidem no terreno da ideologia e que essa discussão deveria ocorrer mais na macroeconomia.Aliada a siglas como PSD e PSC, virou alvo de partidos esquerdistas na cidade.
A juventude e a proximidade com movimentos estudantis ajudam a conquistar o eleitorado com menos de 35 anos. Mas perde por larga margem para Fortunati entre idosos e mais escolarizados.
Manuela disse à Folha que seu programa não tem proximidade com o modelo de "choque de gestão", celebrizado pelo PSDB: "Gestão não é uma palavra patenteada, é um mecanismo de governo."
ATAQUES
A candidatura dela herda parte do eleitorado próximo do PT, que governou a cidade 16 anos a partir de 1989.
Os petistas lançaram o deputado estadual Adão Villaverde, desconhecido pela maioria até o começo da campanha. Os três principais candidatos são aliados no governo de Tarso Genro (PT) e na base de Dilma Rousseff.
Em terceiro lugar na disputa, o PT passou a atacar Manuela no horário eleitoral. Em um dos programas, um ator comparou a candidata a uma "celebridade" que "fala bonito, mas, se espremer...".
A deputada diz que a campanha petista está "mal conduzida" momentaneamente.
Para transmitir imagem de experiência, ela exibiu em seu programa eleitoral uma reunião com políticos e técnicos que a apoiam.
Deputada em segundo mandato, Manuela tenta pela segunda vez ser prefeita de Porto Alegre. Há dois anos, teve no Estado 483 mil votos para a Câmara, o equivalente a quase metade do eleitores de Porto Alegre.

Artigo de Joaquim Falcão


O encontro do Supremo com a opinião pública veio para ficar. Não se sabe ainda como vai se desdobrar e se institucionalizar. Sabe-se, no entanto, que é preciso superar a aversão de ministros de serem avaliados e a opinião pública impulsiva, às vezes opressiva.
A opinião pública inevitavelmente informa, mas necessariamente não forma ou deforma uma decisão do Supremo. O fato é que, na democracia, a legitimidade do Supremo e a eficácia de suas decisões muito dependem desse encontro.
Convergência, aliás, que começou quando a pauta do Supremo foi sintonizada com a pauta da opinião pública e privilegiou menos as teses jurídicas e mais a resolução dos conflitos que atingem o cotidiano de todos.
E se fortaleceu quando os ministros, argumentando com força legal e sentimento de justiça, se entendem e são entendidos. Quando se tratam sem preconceitos, com solidário mútuo respeito e profissional generosidade.
A clareza tem sido fundamental para, além de encontro, haver entendimento. Dispensar a cansativa erudição fora do lugar, que muita vez esconde e confunde, em favor da objetividade, é caminho que muitos ministros já adotam. O que vale não é a retórica da erudição, mas a qualidade da argumentação.
SATURAÇÃO
A opinião pública está saturada com as eventuais dúvidas sobre regimento, que devem ser pacificadas antes das sessões. De modo que o regimento seja rumo eficiente e não arena de imprevisibilidades, e os advogados saibam como se conduzir.
A opinião pública busca um Supremo não protelatório, que se recusa a ser manipulado por qualquer das partes. Hoje, cerca de 80% das decisões são sobre agravos de instrumentos que, em nome do necessário direito de defesa e do devido processo legal, prejudicam a ambos.
E está cada vez mais atenta quando ministros pedem vistas paralisantes --e desaparecem com os processos, por motivo político ou por receio de seu ponto de vista perder.
Mas o que a opinião pública espera do Supremo? Que faça seu serviço como está fazendo. O STF tem a honra de ser o supremo servidor público. Que produza decisões finais e não infindáveis decisões. Decisões que contribuam para a paz social.
De resto, não custa lembrar o ministro Cezar Peluso: que os ministros sejam graves. Pois grave é sua responsabilidade perante a opinião pública, a nação e a história.

JOAQUIM FALCÃO é professor de direito constitucional da FGV Direito-Rio

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A doação do patronato para a UERGS

Em época de campanha eleitoral, podem aparecer pessoas que queiram dar a entender que foram idéia delas  a instalação do curso de Agronomia e a doação da área do patronato pela Prefeitura.

O curso de Agronomia vem sendo gestado na unidade de Cachoeira do Sul, há muitos anos e têm como principais responsáveis pela sua construção os professores Dr.  Benjamin Dias Osório e Dra. Gisele Guimarães.

Quando fui Pró-Reitor de Administração da UERGS e depois ocupei interinamente o cargo de Reitor, tratei com o prefeito Sérgio Ghignatti e com o Secretário Ronaldo Tonet, a doação da área pelo município para a UERGS e que teve a intermediação do então Presidente da Câmara Oscar Sartório.

Temos feito isso desde então. De um lado os professores costurando internamente a construção de um projeto pedagógico pelo curso. E de outro lado, um trabalho político em que todos nós professores estamos envolvidos, mas que pela simples razão de morar por aqui, acabo de certa forma atuando mais fortemente nessa construção. Mas que é importante ressaltar, que é coletiva.

Na sexta-feira passada o prefeito encaminhou o projeto para a Câmara de Vereadores. Fui convidado, incessantemente, a depor no horário político, sobre esse trabalho. Alertei que o mesmo era de cunho comunitário, e não político e, portanto, de minha parte, não admitiria qualquer exploração política sobre o fato.

E espero que ninguém se arvore a adonar-se, politicamente, de algo que é fruto do coletivo.

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Imprensa e eleições
Em todo pleito eleitoral se ouve a mesma coisa: a imprensa tem candidatos. Olha, acho que uma das maiores hipocrisias que vivenciamos no rádio, nos jornais e na TV, é a tão propalada neutralidade. Isso não existe. Podem ser imparciais. Nada mais. Possuem preferências sim. Aliás, sequer conseguem esconder de quem nela vivencia. Por isso, sempre defendi a tese que os jornais, por serem privados, assumissem publicamente sua preferência ideológica. Eu como colunista, sempre assumi. Fiz assim em 2010 quando abri voto para a Dilma. E hoje, todos sabem em quem voto. É de melhor tom. É mais civilizado, do que agredir aqueles que não gostamos, em nome da ética e para beneficiar os de nossas preferências. Outra coisa que não dá para agüentar é a cantilena dos candidatos, reclamando de espaço. Ou das pesquisas publicadas. Ora, pesquisas patrocinadas por jornais ou TVs, precisam ser friamente analisadas. Ouvir menos de meio por cento do eleitorado implica em margem de erro altíssima e grau de confiabilidade, de menos de oitenta por cento. Portanto, é quase uma enquete. Mas são legais, pois são registradas e passam pelo crivo da justiça eleitoral. O certo é que a imprensa em geral há muito tempo não ganha nenhuma eleição. Ou melhor: sempre que apoiaram alguém, acabaram derrotando o seu preferido. O resto é choro de quem não têm competência para concorrer.

Progressistas
Nessa eleição, se observa claramente que existem candidatos que sequer trabalham o nome da majoritária. Porque eu não sei. Mas por certo pensam que ninguém vê.

GG
O maior legado pessoal do prefeito, é o apoio que concedeu durante todo o seu mandato, a educação superior. E isso ninguém pode negar.

UERGS
Desde 2010 estamos envolvido com a cedência  da área do patronato. GG cumpriu o que prometeu, e mandou para a Câmara o projeto de doação. Com isso, a reitoria pode começar a providenciar o vestibular de Agronomia. E a minha missão na Universidade, já começa a se dar por encerrada.
Debates
Os dois candidatos do governo, precisam se preparar com mais afinco para os debates. Novamente, saíram prejudicados, por não serem convictos na defesa do governo deles. Existem coisas boas para serem demonstradas e os dois, são competentes o suficiente para se saírem melhores.

Trojhan e Godoi
A organização da campanha dos dois repercute nas pesquisas eleitorais. Nesse ponto, o vice, homem experiente em campanhas, ajuda muito à dupla. E o candidato a prefeito, pode se preocupar apenas em pedir votos. 

Celso
A morte do Celso Germanos chocou a cidade e todos os seus amigos. Fica aqui meu abraço para a mãe, irmãos, primos e demais familiares. E que o sofrimento que passam, seja respeitado por todos nós.

Prefeituráveis
Falam de Saúde, estradas do interior, geração de emprego, asfaltamento dos bairros. Tudo certo. Precisamos disso. Mas e as crianças de nossa cidade, quem cuidará delas? Ou está bom assim?

Miséria
Temos em nossa cidade quase dez mil pessoas vivendo em extrema pobreza. É um dado estarrecedor. Mas enquanto o centro da cidade for à caixa de ressonância das ações do executivo, a situação tende a piorar. Uma tristeza.

A volta do Blog




Deixei de escrever por aqui, pois tenho o projeto de transformar o blog em um site. Mas como precisamos reformatar a idéia, volto a postar por aqui. Obrigado pelos diversos e-mail que solicitaram a retomada do espaço.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Mano Changes

Estive no sábado, com o deputado estadual Manos Changes, na FENARROZ em Cachoeira do Sul. Ele esteve visitando o espaço da faculdade América do Sul e aproveitou para lançar, na cidade o movimento INTERNET LIVRE.

Conversamos muito sobre educação e visitamos os expositores. Aproveitamos também, para avaliarmos as eleições Porto Alegre e em Cachoeira do Sul. O deputado é um ferrenho defensor do apoio do PP a Manuela Davila e simpatiza muito com a possibilidade dessa aliança estender-se a Cachoeira do Sul

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Por que fechar a Rua Sete?


Por que fechar a Rua Sete?

Olha, sou adepto da máxima é PROIBIDO PROIBIR. Morei durante vinte anos na rua sete de setembro. Sempre teve barulho. E já foi infinitamente pior do que é hoje. É só perguntar para os antigos moradores. Ou se esqueceram dos bailes do clube Independente? Ou do bar do Guga na Major Ouriques? Ou da junção de jovens na Praça José Bonifácio, no início da década de oitenta? Das boates do Clube Comercial e a sua saideira? A zoeira começava na sexta à tardinha e só terminava domingo pela madrugada. Cidade do interior que se presta sempre terá o seu bobódromo. É cultural. É aqui, em Cruz Alta, em Caxias. Até POA já teve o seu, lá no bar do Timbuca, na vila Assunção. Portanto, em tese, sou contra o fechamento. Sou a favor de medidas mitigadoras. Como por exemplo, em caráter experimental, diminuir a área de estacionamento aos finais de semana. E liberar a via da direita na Praça José Bonifácio, apenas para pedestres. Proibir por proibir, é achar que as pessoas continuarão a freqüentar aquele espaço, sem os carros. Muitos ficam ali parados, para serem vistos por quem ali passa. Proibir, por proibir, é transferir os jovens para outro local e continuarem a cometer os seus excessos. Proibir, por proibir, é atitude comum de governos autoritários e incompetentes, que por comodismo optam por aquilo que lhes cause menos desconforto e menos trabalho. Aliás, fica uma pergunta: e temos governo?

Coluna
Não foram os muitos pedidos para continuar a escrever que me fizeram mudar de idéia. Foi um abraço apertado de uma senhora, que eu não conhecia pessoalmente, que me motivam a continuar ocupando um espaço que não é meu, mas é nosso! Como ela mesma disse!

Tarso
Desconhecimento do governador acerca do pujante trabalho empreendido pela UERGS local em consolidar o curso de Administração Rural e implantar Agronomia, revelam despreparo absoluto seu e principalmente de seus assessores. Quando se aborda o tema educação, precisa-se, antes de tudo, de conhecimento de causa.

Fenarroz
Festa ou Feira? O tempo demonstrará que precisamos das duas coisas. Em datas distintas. Mas agora é tempo de saudarmos a executiva que está de parabéns pelo excelente trabalho desenvolvido, que o fez a despeito do executivo municipal ter-lhe dado as costas. E que quando se apresentou, pagou o maior mico da história!

Agricultura
Os dissabores são próprios do capitalismo industrial que renegou essa nobre atividade, em algo de “segunda” classe. Retomar a luta e a capacidade de indignação é fundamental para desenvolvermos políticas tanto para o grande como para o pequeno produtor. Não vivemos sem eles.

Internet Livre
Deputado Mano Changes, lançou no stand da faculdade América do Sul, campanha digital pela internet livre. Importante iniciativa que conta, desde já com o apoio de muita gente importante. Depois, caminhamos e conversamos longamente sobre política. 

PP e PC do B
Por que não? Com o PT pode. Com o PMDB pode. Com o PDT pode. Alianças pragmáticas são do jogo político, desde que se tenha claro que os princípios programáticos fiquem intactos. E fica uma pergunta: podemos estatizar ou privatizar o que, nos municípios? Portanto...

Godói
É um amigo e colega de longa data. Conversamos bastante na FENARROZ. Está convicto que possui chances reais de chegar ao paço. Capacidade e coragem, nunca lhe faltaram.

UFSM
Nesse momento, passa a ser muito importante o trabalho de João Ricardo Tavares, em Brasília, no que tange ao andamento do processo. Sem frufru. Em silêncio e sem comitivas desnecessárias. Se tudo der certo, já podemos sonhar certo, para 2014 e quem sabe até beliscar em 2013. Dentro dos quatro anos, como previ.




terça-feira, 22 de maio de 2012

Entrevista ao JP Rural

Qual a importância da sucessão rural?“Só se fala de sucessão se houver algo para preservar e desenvolver. Desta forma, a natureza da sucessão rural reside no esforço de perpetuar um trabalho bem-sucedido de anos ou gerações anteriores, sempre no sentido de se manter ativo um negócio que gere renda aos proprietários, emprego e desenvolvimento social”

Quando este processo deve iniciar nas propriedades?“Isto exige a incorporação constante de novas tecnologias e métodos de gestão e a inserção de jovens membros da família na atividade, que darão sustento e ampliarão os ativos, ou seja, o patrimônio de todos. Fazer com que o jovem participe do processo em sua totalidade, principalmente na tomada de decisões, é fator primordial”.

Quais as principais dificuldades na sucessão rural? Como solucionar estes problemas?“A questão da sucessão é uma matéria muito importante, porém, não urgente. As pessoas costumam estar focadas na solução de tarefas diárias e não encontram tempo para uma reflexão estruturada sobre sua vida. Sendo assim, elas trocam o presente pelo futuro. É importante que se saiba que o comando terá que mudar. Para tanto, hoje existem os profissionais na área de sucessões, que treinam, com início, meio e fim, todo o processo. O mais importante em tudo é estar preparado e preparar para a sucessão”.

Como despertar nos filhos o interesse pela atividade agropecuária?“Fazendo com que eles participem da vida do negócio em si, mas sempre tendo claro que nem sempre despertaremos em nossos filhos a capacidade de empreender e que, portanto, talvez eles não sejam os futuros administradores do negócio”.

O que fazer quando os herdeiros não se interessam pelo negócio?“Os herdeiros possuem direito à sucessão, não à administração do negócio em si. Deverá administrar aquele que for mais capaz. E hoje, muitas vezes, precisamos buscar especialistas para exercer essa tarefa. O curso de Administração Rural da Uergs pretende, por exemplo, ocupar essa lacuna”.

E se apenas um de três herdeiros, por exemplo, desejar tocar a propriedade rural?“Como regra geral, deve-se criar a rotina de reuniões formais e informais de todos os familiares, de preferência uma ou duas vezes por ano, na fazenda. Aquele que administrar deve ser remunerado para tal. Tudo com a maior transparência possível, pois, embora seja proprietário, deve prestar contas aos demais sócios do empreendimento”.

Que fatores contribuem para o sucesso no processo de sucessão rural?“O primeiro deles é jamais fugir do tema. Ninguém é eterno. Por isso, o sucesso de um negócio passa necessariamente pela certeza de que haverá sucessão ou a venda do empreendimento. Uma coisa é certa: no mundo atual, a contratação de técnicos para o assessoramento é fator fundamental. O segundo passo importante é fazer um marco inicial de quando começará o processo de preparação da sucessão”.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Por que escrever uma coluna? ( Coluna de hoje no JP )


Por que escrever uma coluna?

Sei lá. Não sei bem. Não recebo nenhum tostão por isso. Também não escrevo esperando elogios. Recebo, sim, críticas, que eu gosto. Mas nos últimos tempos, tenho é recebido xingamentos. Por isso começo a repensar sobre escrever. Não preciso de reconhecimento público, pois não sou candidato a nada, e muito menos preciso desse espaço para qualquer coisa.

Sempre achei que escrever seria uma forma de contribuir. Mas para quem? Os dissabores são muitos. Quantos “inimigos” arrumei por defender opiniões que se confirmaram? Foi assim com o GG, sendo o único colunista a questioná-lo desde o início, colocando dúvidas sobre as suas ações. Foi assim com a Corsan, que renovou o seu contrato. Foi assim com a UFSM, pela qual torço muito, mas que até hoje não se instalou (embora prometessem para 2010).

E por último foi o tal Consultão (ou referendo), que sempre me posicionei contrário, defendendo a sua ilegalidade, e não a sua legitimidade. E fui o único por aqui, no JP. Contrariando um dos maiores juristas da cidade, meu colega AFF, o próprio jornal, dois promotores de Justiça que se posicionarem pública e processualmente, o Judiciário local e o Executivo, que ainda se esforça para reverter uma derrota que não era sua.
Aí, eu te pergunto, mas por que tudo isso? O que ganhei até aqui? Nada. Absolutamente, nada. Talvez o respeito silencioso de alguns. Vale a pena, então? Pois é.
É de se reavaliar. Emitir opiniões em uma cidade pequena e que está sempre conflagrada talvez não seja a coisa mais importante a se fazer, e muito menos a mais inteligente. Por isso, pensar, e muito, passa a ser preciso...
Comissão da verdade
Abrir os porões da ditadura é a única forma que temos de conhecer a nossa história em uma luta em que quase todos perderam. Dos dois lados. Vingança? Que nada... Precisamos, sim, saber para nunca mais repetir e, muito menos, ficar dizendo que na época da ditadura é que era bom...
Tortura
Como podemos conceber que brasileiros torturaram brasileiros em nome do governo americano? Pois é, mas foi exatamente isso que aconteceu. Arrancavam unhas, colocavam pessoas no pau-de- arara, eletrocutavam e matavam em nome de uma política mundial. Vergonha das grossas que precisamos, sim, todos os dias, publicizar aos nossos jovens.
Políticos
Pode existir coisa mais enfadonha do que ouvir um pré-candidato a prefeito? Sim, ouvir dois. Dormir passa a ser um dever de quem participa dessas reuniões onde os egos são maiores que a cidade. Por isso que eu larguei.
Vereadores
Acho justa a campanha dos cachoeirenses em se proporem a não reeleger os atuais edis, muito embora tenha um cunho vingativo. Mas, mais do que ninguém, pelo silêncio e pelo medo que demonstraram, merecem. E aí, nada mais democrático do que o povo se manifestar, legítima e legalmente.
CandidaturasSerá que podemos entregar a cidade a políticos que, em qualquer reunião partidária, antes de qualquer coisa, querem saber se Pipa Germanos ou Marlon Santos serão candidatos? Depois, eleitos, a qualquer tempo estarão tremendo diante de uma crítica ou manifestação de alguma autoridade.
Executivo e MP
Tão zeloso em cumprir determinações legais, por que será que até agora GG não cumpriu o TAC com o MP e não credenciou o Caps AD? Estamos perdendo mais ou menos meio milhão em dinheiro novo no município.
Teste da memória
Você é capaz de dizer onde os políticos e muitas autoridades públicas atuais estavam no período da ditadura militar? Ou será que eles teriam a coragem de dizer?
Imprensa
Seu papel é informar e educar. Pode até influir, desde que seja explícito e calcado em elementos verdadeiros. Caso contrário, a liberdade de expressão deixa de ter qualquer valor.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Vereadores continuarão calados?

Manchete do JP hoje, dá como certo que GG irá recorrer da decisão que suspendeu os efeitos do decreto que instituiu o referendo. Para mim nenhuma novidade. Tenho dito a todos, que o prefeito é populista e entre a legalidade e a opinião do povo, optará pela segunda.

Espero que agora, baseado em uma decisão judicial muito bem fundamentada, que a Câmara de Vereadores se posicione com mais firmeza, frente a essa intromissão. É inconcebível o seu silêncio, não apenas diante do referendo, mas principalmente diante da intromissão do executivo no legislativo, o que causa espécie em qualquer operador do direito.

Problemas existem. Não precisamos criar mais um. Talvez esteja na hora, por exemplo, já no final de seu governo, que o prefeito atente para a questão dos lixões, sob pena daqui a pouco de responder uma ação popular ou uma ação civil pública, por absoluta omissão e então perder parte de seu patrimônio, por preocupar-se com aquilo que não é de sua competência,

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Justiça cancela referendo


O referendo popular de Cachoeira do Sul que aconteceria no domingo e poderia decidir o número de vereadores no município foi suspenso pelo Tribunal de Justiça, conforme decisão proferida na tarde de hoje.
O TJ atendeu recurso encaminhado pela Câmara de Vereadores que questionava o decreto de convocação da Prefeitura de Cachoeira do Sul e ao que tudo indica a consulta à comunidade não deve mais acontecer no domingo. A Prefeitura, parte interessada no assunto, a princípio não deve recorrer da decisão.
TAMANHO DA CÂMARAO referendo estava sendo convocado depois de sentença em primeira instância judicial, ordenada pela juíza Lilian Ritter atendendo mandado de segurança da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Cachoeira do Sul. Se fosse convocado, os cachoeirenses iriam escolher o tamanho da Câmara.
Hoje, são 10 vereadores, mas os parlamentares aprovaram um aumento no ano passado fixando as cadeiras em 15 a partir de 2013. O referendo era a última alternativa para tentar manter a Câmara com 10 vereadores, se a campanha do Não vencesse.
CONFIRA A DECISÃO DO DESEMBARGADOR GENARO BARONI BORGES, DA 21ª cÂMARA DO TJAntecipo a tutela recursal em ordem a suspender os efeitos do decreto nº 91/2012 de 30 de abril de 2012 do município de Cachoeira do Sul; em consequência, à falta de lei regulamentadora, e por não precedida de vênia legislativa, também suspender, "ad-cautelam", a realização da consulta referendária aprazada. Comunique-se com urgência ao juízo de origem, para as providências, dispensadas informações. Ao agravado e ao Ministério Público. Após, voltem para julgamento. Intimem-se. 

DIA 20 DE MAIO NÃO VOTE NO REFERENDO ( Coluna do JP )


Dia 20 de Maio fique em casa
Nunca me imaginei participar de uma campanha para que a população não opinasse. Contraria, em tese, o que já escrevi e principalmente, toda a minha luta no movimento estudantil. Mas o voto decorre do sufrágio. E para ser respeitado, como tal, passa por pressupostos legais. Ou seja, o eleitor precisa ser livre. E nesse “referendo” as pessoas poderão ser transportadas, será oferecido almoço para quem votar e até gasolina já estariam oferecendo, condutas todas vedadas pela legislação. Menos aqui. Para mim não importa o resultado. E por três razões. A primeira é que já temos dez vereadores e já vimos que a sobra, não vai para a saúde e nem para a educação como apregoam. Em segundo lugar, a consulta está sendo questionada na justiça e o legislativo está impedido, enquanto pender de recurso, de tomar qualquer decisão. E em terceiro lugar, o que está sendo perguntado é inócuo, até porque SIM é NÃO e NÃO é SIM.  Ou seja, o resultado jurídico, imediato, é nenhum. Os apoiadores da causa do NÃO acabarão tendo que intentar com nova ação se quiserem revogar o que já foi decidido. Ou vocês não sabiam? Hoje a lei orgânica do município diz que teremos 15 vereadores. E isso independe de referendo ou de resultado de consulta. Por isso, ficarei em casa se estiver chovendo. Se o tempo estiver bom apreciarei o desfile da FENARROZ e passearei de bicicleta, como sempre faço. Volto a dizer se percebesse nos organizadores desse movimento, um real interesse no fortalecimento das instituições republicanas e que poderíamos contar com eles, para ampliarmos os direitos dos trabalhadores, tão vilipendiados em nossa cidade, por certo teriam a minha simpatia. Mas infelizmente, não vejo isso. A começar pela forma agressiva como tratam os contrários, tanto nas ruas, como nas redes sociais. Ou seja, de democráticos, só mesmo o discurso para tentar cooptar simpatizantes. E apoiar o SIM, significa dar guarida aos vereadores de hoje, que além de ruins (até por serem só 10), sequer têm coragem de defender o que votaram e a lei orgânica que representam.

Tiro no Pé
Foi assim que enxerguei a passeata do NÃO, que contava na Praça Honorato, com apenas nove pessoas. Além de trancar o trânsito, ajudaram a sujar mais um pouco a cidade com panfletos, que logo depois eram jogados no chão e, também, irritar os motoristas, pelo engarrafamento causado.

Representatividade
A Câmara é o reflexo de uma sociedade. Mas é também reflexo de uma legislação. Com 10 vereadores, um partido ou coligação precisa de 6 000 votos. Quem é que faz essa quantidade de votos? O comum? Não, apenas os “profissionais”. Por isso, nunca a qualidade é o mais importante para montar as nominatas.

Aula Magna
Hoje, estaremos recebendo na UERGS o Secretário de Estado Ivar Pavan. A direção da unidade convida a toda a comunidade cachoeirense, para participar do evento.

Horas-Extras
Executivo diz que não tem pessoal para fiscalizar concessões. Afirma que não consegue controlar (e como autoriza?) empresas que recolhem entulhos e despejam em lixões a céu aberto. Mas como encontra tempo e gente para arrumar problemas com os servidores? 

Praça Honorato
Como é bom e prazeroso ir a uma praça remodelada. Espero que a população, agora, colabore e mantenha-a em ordem.

Lei de Acesso
A lei, sancionada em 18 de novembro do ano passado, regulamenta o acesso a informações públicas e sigilosas.A partir de quarta, quando ela entra em vigor, os órgãos terão prazos definidos para responder aos pedidos, inclusive os de vencimentos.

Meio Ambiente
Pesquisa elaborada em Harvard comprova que aumento de CO2 implica em maior aquecimento global. Começa a cair um dos últimos bastiões dos que argumentam que a queima de combustíveis fósseis não aquece a Terra.










quarta-feira, 9 de maio de 2012

Morre Rafik Germanos

Faleceu as 11hs30 desta quarta-feira, o diretor da Transportes Nossa Senhora das Graças e fundador do Sistema Fandango de Comunicação, empresário Rafik Germanos. O velório de Rafick Germanos será realizado na Capela A da Funerária Madre Tereza em frente ao HCB e o sepultamento será nesta quinta-feira, 10h no Cemitério das Irmandandes. Rafik Germanos deixa a esposa Maria Lira e os filhos Neife Maria, Paulo Ricardo, Rogerio, Taufick (Pipa), Celso e Luis Antonio, além de genros, noras, netos, e os irmãos Otavio Germano, Geraldo Germano.

segunda-feira, 7 de maio de 2012



Vereadores: lutem ou renunciem!
Pressionado pelos setores conservadores e pela mídia, assim como aconteceu em todo o seu governo, o prefeito foi novamente pautado. Tomou para si a decisão de tocar o referendo (sic), muito embora esteja o mesmo sendo apreciado pelo Judiciário. Corre riscos desnecessários, ainda mais que não é candidato a reeleição. Mas sempre terá o argumento, de que fez baseado em decisão judicial. O risco político foi calculado. Tinha quase que certeza que o legislativo ficaria acuado. Como ficou. Aliás, constrangedoramente acuado e desnorteado, permitindo que o executivo lá interferisse arbitrariamente. Foi um legítimo “cala-te boca”. Apostou e ganhou. Com todo o respeito que me merecessem, talvez nenhum deles, hoje, mereceria ser reeleito. E digo isso única e exclusivamente pelo fato, de não terem capacidade de sustentarem publicamente suas opiniões e fazerem o enfrentamento político em defesa do poder que representam. Certo mesmo seria, a partir de hoje, que, aqueles que se calam, e não defendem uma posição favorável a intromissão ou contrária a ela, que entregassem seus cargos. Não precisamos de pessoas subservientes. Precisamos sim, de políticos que defendam com convicção suas opiniões e em particular as suas decisões, mesmo que a defesa seja impopular. Que feio. Escondem-se atrás de um competente procurador jurídico, que luta sozinho e se vê obrigado a fazer o papel que não é dele.  O silêncio deles me dá a nítida impressão que estariam errados ao não permitirem a tramitação do projeto de iniciativa popular, assim como parece que cometeram algum ilícito ao aprovar lei que definiu em quinze a composição da casa. Aliás, mais do que nunca reforça a minha tese de que deveríamos ter mais vereadores e que eles não recebessem um tostão por isso!

Adão
Cartunista celebrado nacionalmente estará em Sta. Cruz, em talk-show com Rui Carlos Ostermann, celebrando a Feira do Livro. Será dia 28 de agosto. Além disso, fará uma palestra aos estudantes da UNISC e ainda proporcionará um bate-papo com café, aos jornalistas e intelectuais da região. Agenda cheia. Já confirmei presença.

Cleber
Nessa história não tem mocinhos nem bandidos. O ex-vereador acreditou em rábulas, que lhe prometeram o mandato. Trocou de partido e perdeu o mandato. Óbvio, porque ninguém se elege vereador, hoje, sem os votos da legenda.

Bandeira Preta
Sou favorável a que se ouça, sempre, a população. Mas não posso compactuar com um referendo que não tem regras e que o abuso do poder econômico terá a conivência das instituições. Sem voto livre e consciente, não votar passa a ser a bandeira de protesto contra o executivo e contra o legislativo.

Coligações
PP-PR-PPS-DEM e PV já estão juntos. PMDB –PSDB e PTB, também. O PT por enquanto, aguarda definições do PDT e PC do B. Isso é o que está posto até o momento.

Supermercados
Sem acordo coletivo, em razão da intransigência do Sindicato Patronal, empresários do setor agora começam a se preocupar. Terão que pagar horas-extras, eis que acabou a intra-jornada de quatro horas, a possibilidade de abertura em feriados e o banco de horas. Fechar aos domingos, talvez seja a saída.

Crianças
Tão estigmatizado, foi o ECA quem lançou as bases para que crimes como esse que aconteceu em nossa cidade, sejam punidos e investigados com mais rigor. Proteger as crianças e os adolescentes, sempre.

Diversidade Legal
Os travestis e transexuais do Rio Grande do Sul poderão a partir do dia 17 escolher o nome pelo qual querem ser chamadas --e terão um documento para comprovar isso. O documento será uma "carteira de nome social" e terá o mesmo valor de um RG

Cinezine
Amanhã no Centro de Inovação Social ( na rua XV), será exibido o filme Tropa de Elite 2. Depois da apresentação, uma discussão muito legal sobre corrupção e instituições. Vale a pena participar!




sábado, 5 de maio de 2012

Não vote no REFERENDO

Estou convidando a população de Cachoeira do Sul, no dia 20 de Maio, a ficar em suas casas. Ou quem sabe ir as praças. Ou pegar seus filhos, seus amigos ou até sozinho e andar de bicicleta, como se não houvesse amanhã.

A única coisa que não podemos fazer é comparecer para votar (sic!) em um referendo que tem por único condão manipular a população. Comparecer é concordar com a intromissão do executivo no legislativo. É compactuar com um Poder Judiciário que há séculos, defende apenas as causas burguesas e que esteve durante todo o período da ditadura militar, compactuando com seus desmandos.

Independentemente de voce entender que deveremos ter 10, 15 ou 17 vereadores, esse Referendo não é o instrumento legal mais adequado para ouvirmos uma população, que sequer está sensibilizada e informada para votar e que como dito pelo próprio executivo, sequer poderá ser fiscalizado por absoluta falta de condições.

Portanto, se você é radical, libertário e acima tudo consciente, simplesmente não vote (sic!) para não legitimar este absurdo!

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Cleber Cardoso é cassado em Cachoeira do Sul

O Tribunal Regional Eleitoral cassou ontem o mandato do vereador Cleber Cardoso por infidelidade partidária. Eleito pelo DEM, mas desde o ano passado filiado ao PDT, Cleber perdeu a cadeira para o primeiro suplente imediatamente após a mesa diretora da casa ser intimada da decisão judicial. O DEM ingressou na Justiça para recuperar a vaga, que não necessariamente será ocupada pelo partido, isto porque o primeiro suplente da bancada eleita em 2008, Luiz Paixão, também já saiu do DEM - encontra-se no PP. O segundo suplente, Alex da Farmácia, está agora no PSB. 


A jurisprudência e a doutrina em razão do silêncio da legislação, apontam que nesses casos assume o suplente que continuar filiado ao partido que intentou com a ação. Nesse caso Leandro Forte deve ocupar a cadeira deixada por Cleber Cardoso.

Quem acompanha minha coluna e o blog, já sabia do final da história. A infidelidade partidária, é tratada de forma pesada pelo tribunais eleitorais e o vereador, até onde se sabe, acreditou em pseudo-juristas.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Cotas e preconceito
O que mais gostei na decisão do STF foram os votos dos Ministros. Colocaram um fim no discurso fascista da igualdade. Sim, porque o que mais se ouvia era que a igualdade era absoluta, quando qualquer estudante de direito sabe que a igualdade ‘e para os iguais. Por outro lado ficou cristalizado que a burguesia, durante todo esse tempo, pouco ou nada fez para que essas diferenças desaparecessem. As cotas sociais e as cotas raciais são constitucionais. E também uma forma de discriminação, que chamamos de discriminações positivas. Serão temporárias. E nem poderia ser de outra forma. Com isso podemos passar a acreditar que se os governos não apostarem em uma educação inclusiva e de qualidade, a pressão de todos os atores e em especial da burguesia será bastante forte, pois por certo não poderemos conviver eternamente com desigualdades em nossa sociedade.

Pipa Germanos
Por certo que não pretende abandonar tudo o que construiu nesse tempo, para voltar a ser Prefeito. Se concorrer, vem para ganhar e principalmente, para retomar sua carreira política.

Coligação de esquerda
O PDT tem enormes dificuldades em decidir. Marlon ‘e pressionado a colocar seu partido como aliado do PT. Mas para isso teria que defender o governo de GG. Fica difícil dessa forma. E, sonha em compor com o PP. Portanto, ou Tarso entra em campo, ou morrerão todos.

Figueiro
Candidatissimo a prefeito, espera poder contar com o apoio do PDT e do PC do B. Dessa forma, encorpa a sua chapa, fortalece seu discurso oposicionista e passa a ter muitas chances de vitoria.
Hype
Minha ida a melhor casa noturna da cidade, serviu como mais uma comprovação de minha tese sobre sexualidade, como escrevi a semana passada na coluna. Ate a DJ me confidenciou a sua impressão.

Colégio Barão
Hoje estarei na escola, para falar com os jovens sobre os poderes republicanos e a participação popular. Claro que o tema referendo entrará na pauta.

Comerciários
A falta de dialogo por parte das entidades empresaria, levou o dissídio para justiça. A partir de quarta, todos terão que pagar horas-extras aos seus empregados, pois o banco de horas terminou. Assim como a abertura do comercio em alguns feriados.

Aécio
Parece que a estrela do PSDB sucumbiu de vez. Ate o momento não conseguiu liderar a oposição e agora, citado no caso Cachoeira, devera abortar de vez o projeto de ser presidente.

Ensino Superior
Um dado preocupante ‘e que vinte e cinco por cento dos professores da educação básica brasileira não possuem curso superior. Eles cursaram apenas até o ensino médio ou o antigo curso normal. Os dados são do Censo Escolar de 2011, divulgado este mês pelo Inep.

Homofobia
No que se refere à homofobia, à esquerda e a direita confundem-se como uma única entidade devastada pelo preconceito e a estupidez. Não só a Igreja Católica e as seitas evangélicas repudiam o homossexual e opõem-se obstinadamente ao matrimônio de gays. A esquerda peruana, na década de 80, executava homossexuais. ( Mario Vargas Llosa)