jmahfus@hotmail.com

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Redes Sociais e a TNSG: o início de uma primavera cachoeirense?

O Prefeito Sérgio Ghignatti, suspendeu por trinta dias, o reajuste que havia concedido a empresa concessionária do transporte coletivo. Justificou a decisão, em relação a discrepância entre o que a empresa oferecia de tarifa para o interior, e o que solicitou para a cidade, muito embora, os valores tenham sido justificados por planilhas regularmente apresentadas.

Na verdade, o prefeito ficou preocupado com a crescente manifestação contra o aumento, através das redes sociais, e da manifestação organizada para o dia de amanhã, que pretendia questionar os aumentos e as planilhas apresentadas. Parece que o executivo, temeu a tomada das ruas por jovens protestando e resolveu reavaliar tudo. Certo ou errado, só o tempo dirá.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Forum Social da Reforma Urbana


O Fórum Nacional de Reforma Urbana e o Fórum Estadual de Reforma Urbana estão mobilizando movimentos sociais e entidades da sociedade para a instalação do Fórum Sul de Reforma Urbana. Para tanto, realizarão uma reunião dia 3 de março, das 9 às 16 horas, na sala Maurício Cardoso, da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Os organizadores do encontro divulgaram uma carta-convite onde apresentam os objetivos e as motivações da iniciativa. O texto, publicado no blog do Fórum Estadual de Reforma Urbana, afirma:

“Infelizmente o desejo inquietante da sociedade brasileira de sediar um evento esportivo internacional, associado aos interesses do mercado estrangeiro e mascarado pelas grandes agências de publicidade, vem provocando, em nome de uma ‘oportunidade de negócio’ e do ‘rápido desenvolvimento’ violações aos direitos humanos, os quais materializam-se nas nossas cidades através dos despejos massivos, da periferização da pobreza, da apropriação privada dos espaços públicos e da reserva de áreas para os projetos do capital”.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Faculdade América do Sul - Novo Cabrais patrocina festa volta as aulas na Hype

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Uma Cachoeira diferente
Existem novos movimentos na cidade. Talvez as pessoas ainda não percebam, em razão da mídia tradicional ainda estar refém das chamadas grandes causas, ou seja, aquelas que geram manchetes. Mas essa movimentação é latente e acontece fora das instituições tradicionais. São autogestionárias, minimalistas e radicais. Têm um objetivo específico, e isso depende de cada coletivo. Os movimentos não possuem donos, e sim todos são donos. São “Anonymus”. Por isso, de difícil identificação. E como vêm da base, que está muito distante do dito poder, não podem ser manipulados. Organizam-se e comunicam-se por mídias sociais. E talvez aqueles que leem essa coluna sequer imaginam quantos blogs, quantos perfis de Face e de Twitter movimentam esses grupos. Fico orgulhoso de ver isso. Acho que uma nova cidade pode advir daí. Mais progressista, menos individualista, menos preconceituosa. Uma cidade que possamos ter orgulho de dizer que nela vivemos. E por incrível que possa parecer para muitos, mudada por jovens, que por aqui sempre são ignorados. Avante! E sempre!

Ficha Limpa
A lei, que é imperfeita em sua construção, gerará uma série de ações judiciais no próximo pleito. Até porque o Judiciário não estava preparado para tal procedimento, assim como o MPE e os advogados. Portanto, aguardem os próximos capítulos, pois teremos muitas surpresas.

Impunidade
A Folha de São Paulo tem um link chamado Folha Transparência. Em recente levantamento, chegaram à conclusão de que os inquéritos contra políticos levam mais tempo que o normal e que no STF chegam a levar até 10 anos. De quem é a culpa? É nossa também, porque elegemos quem não mereceria nosso voto.

Semana da Mulher
Importante iniciativa coletiva está com uma programação intensa. Espero, sinceramente, que as mulheres e, principalmente, os homens acompanhem e valorizem esse trabalho.

O dilema do PT
Uma disputa interna sempre é salutar, desde que dela não resultem fraturas. Mobiliza e oxigena o partido. No entanto, se a disputa for fratricida, poderá trazer reflexos na construção de uma unidade de esquerda, que já estava bastante avançada.

Tonet
Embora todos os elogios dirigidos ao GG também sejam a sua equipe, justo dizer que o trabalho do Tonet, do Simon, do Ênio Vieira, do Eurico, da Ivone e de todo o grupo por eles supervisionado foram fundamentais para o sucesso do Carnaval!

Massa crítica
Lindo de ver aqueles ciclistas de branco, aqueles balões e aquela bike na esquina da Juvêncio com a Júlio, todos pedindo paz no trânsito e uma convivência harmoniosa entre os veículos. E o meio ambiente sempre agradece!

Beira-rio
O Internacional não pode permitir que uma empresa denigra publicamente o Banrisul, exclusivamente com o intuito de levar vantagem econômica. Aliás, está na hora do co-irmão colocar para correr esses “pseudoinvestidores” antes que percamos a Copa do Mundo, pois a Copa das Confederações conseguimos perder, por incompetência desses dirigentes.

Gato mestre
Até o momento, temos nas eleições quatro blocos pré-constituídos. Um de esquerda, composto pelo PT, PDT, PSB e PCdoB. Um de centro, composto pelo PMDB e PSDB. Um de centro-direita, composto pelo PV e PSC. E um de direita, composto por PP, PPS e PR. Os demais partidos, como o DEM e o PTB, são alvos de namoro para composições. Os parceiros, por certo, ainda mudarão, mas acredito em, no máximo, quatro candidatos.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

O PT em Cachoeira do Sul

O PT vinha navegando em mares sem ondas, desde que reassumiu vaga no legislativo através da competente Mariana Carlos e do trabalho que Neiron Viegas vinha fazendo no secretariado. Mas como é um partido dinâmico e dialético, por certo que pessoas não estavam contentes com esse rumo. E aí entra o Boézzio, filiado antigo, que colocou seu nome a disposição do partido, para concorrer a prefeito.

Rapidamente a executiva do partido acolheu o pleito das correntes insatisfeitas reuniu o diretório municipal, e democraticamente, apontou para que o partido decida através de um encontro municipal quem serão seus candidatos.

Abaixo, transcrevo a nota, assinada pelo presidente municipal:

Nota do Partido dos Trabalhadores

"O Diretório Municipal do PT reuniu-se neste sábado para definir o processo de eleições interna, visando o pleito eleitoral municipal. Por unanimidade dos presentes, o Diretório decidiu por realizar a escolha do candidato a prefeito pelo partido através do Encontro Municipal, oportunidade em que também serão discutidos a tática eleitoral e a política de alianças. A Executiva Municipal irá se reunir nos próximos dias para definir o calendário eleitoral interno e o período de inscrições dos pré-candidatos a prefeitos e vereadores/as."

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Massa Crítica em Cachoeira do Sul - do blog Cicloativado


Texto escrito por tw ( um anônimo do coletivo )


Escrevo ainda sob os efeitos e o quase-domínio da forte emoção pelo que eu vivenciei hoje. Melhor assim.

No início deste ano, uma pessoa que para mim é uma referência nos lançou por email, como flechas, as seguintes palavras amargas mas verdadeiras:

“vejo o mundo inteiro e os arredores funcionando, empolgado, vibrante. e nós aqui, cachoeira do sul, apáticos, cabisbaixos e desmobilizados.”

Pois o que eu vi hoje é que uma cidade “funcionando, empolgada, vibrante” é possível, mesmo que ela seja Cachoeira do Sul. Sim, eu enxerguei 32 células pulsantes, com suas camisetas brancas pedalando em seus veículos e, em cada olhar, pude perceber um ânimo diferente, que ainda não tinha verificado em nenhuma das massas anteriores.

Parece que a nossa expectativa – gigantesca nesses últimos dias, estou errado? – ganhou de presente um evento ainda maior do que ela.

Não foi apenas um passeio, não foi meramente uma pedalada. Não, o ATIVISMO estava pulsando ali, talvez motivado pelo clima que se instaurou desde a preparação lá na praça: todo mundo enchendo balões, escolhendo plaquinhas com frases para prender nas bikes, recebendo panfletos que depois seriam distribuídos na sinaleira, preparando-se ansiosos com seus apitos. (Aliás, acho que isso foi de fundamental importância para gerar um clima comunitário e ativista no grupo, e penso que devemos repetir nas próximas massas).

Meus ouvidos vibraram ao ouvir os gritos de “bicicleta!!!” e, em resposta, o coro de “um carro a menos!!!”

Iluminada por Deus e bonita por natureza é a pessoa que teve a feliz ideia de fixar uma bicicleta branca num poste. No mesmo momento, outrxs distribuíam panfletos a motoristas, que nos agradeciam gentilmente com sorrisos. É bem verdade que, com os sorrisos e os lindos olhares das nossas ativistas, não tem cara amarrada que resista.

Agora mesmo, acabo de ficar sabendo que um guri dos seus 10 ou 12 anos – que implorou ao pai para ir na massa mas não pôde porque era o dia do seu aniversário – declara que ouvir os ciclistas cantarem parabéns a você, na frente da casa, foi o melhor presente que poderia ter recebido (e quando escrevo isso meus olhos embaçam, droga!).

Enfim, repito o que disse em resposta àquela querida pessoa que acusou os cachoeirenses – com razão – de apáticos e desmobilizados: vamos em frente, de espinha ereta e coração tranquilo!

tw

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

O que é uma bicicleta com roda fixa?


Apesar de parecerem bicicletas convencionais a um primeiro olhar desatento, as fixas diferem delas em diversos aspectos. O principal é não terem roda livre, ou seja, os pedais se movem o tempo todo junto com as rodas.

Por essa característica, os próprios pedais são utilizados para frenagem, o que faz com que tradicionalmente não precisem de um sistema de freios. Também não possuem marchas. Em se tratando de fixas, menos é mais.

Por serem leves, ágeis, demandarem baixa manutenção e não terem peças “roubáveis”, necessitando apenas de uma pequena u-lock ao estacionar, as fixas são muito utilizadas pelos famosos bike messengers de Nova Iorque, que rasgam a cidade em alta velocidade, desviando de tudo e de todos com extrema agilidade.

Primando pela leveza e pela simplicidade, os fixeiros (leia “ficseiros”) capricham nos detalhes, do quadro com pintura especial e selim de couro até o vestuário. Apesar de haver modelos produzidos por fabricantes tradicionais de bicicletas, a maioria das fixas são customizadas, às vezes até montadas em casa com peças compradas por aí. Há até mesmo quadros feitos à mão, personalizados para a alma do dono, como katanas. O dono de uma fixa costuma ter muito orgulho de sua bicicleta.

Quem passa a usar uma fixa integra um novo universo, interessante e diversificado, que envolve bem mais que a bicicleta. Há toda uma subcultura a seu redor, envolvendo moda, comportamento, ideologia e até esporte: o Bike Polo é bastante adequado às fixas.

Cultura roda fixa: livros, música, moda e cinema

LIVRO: Fixa na estante
Existem apenas dois livros específicos sobre fixas, ainda sem tradução do inglês e à venda na Tag. Um deles é o Fixed: Global Fixed Gear Bike Culture, de Andrew Edwards e Max Leonard, que fala da história e da cultura das fixas. O outro é o 42 x 12: The Cult Of Fixed, de Gary Shove e Patrick Potter, que retrata o fenômeno global da roda fixa.

MÚSICA: O som pra pedalar
Em outros países, o pessoal da fixa costuma ouvir música ligada à cultura de rua, como hardcore e hip hop. Não é difícil encontrar um deles ouvindo Black Flag e Dead Kennedys ou grupos de rap fora do mainstream, como Jayren Mychael ou Greg B & Tomorrows Victory. No Brasil a diversidade impera, sem um gosto musical definido. Na Tag and Juice, por exemplo, toca pop, rock ou eletrônico, dependendo do público e de quem estiver na picape.

MODA: Bike também no estilo
A currier bag é quase um item de fetiche: uma mala espaçosa e resistente (inclusive à chuva pesada), boa para carregar entregas, mas também adaptada como cooler para cerveja e gelo. No mais, vestindo o biker, bermuda, jeans ou calça de sarja, nunca muito larga, camiseta de algodão e boné. E tatuagens completam o estilo.

CINEMA: Rodas na telona
No início de 2012 deve entrar em cartaz o filme Premium Rush, da Columbia Pictures, que conta a história de um currier de Nova York que usa uma fixa para trabalhar, mas acaba perseguido por um policial corrupto. Agora, para conhecer um pouco da história das fixas em São Francisco, o DVD Mash SF é uma boa. Produzido pela principal loja de fixa na cidade norte-americana (www.mashsf.com), o filme acompanha um livro sobre os bastidores do documentário. E na internet fervilham vídeos de ação. Acesse, por exemplo, o site www.macaframa.com ou www.tagandjuice.com.br/blog/.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Cicloativado participará do Forum Mundial da Bicicleta


O coletivo comunitário de bicicletas de Cachoeira do Sul (Cicloativado) apresentará a sua experiência durante o primeiro Fórum Mundial da Bicicleta que acontecerá nesta quinta, sexta e sábado e domingo em Porto Alegre.

Na oficina “Passo-a-passo: Agitando um coletivo de bicicletas numa cidade do interior”, integrantes do cicloativado vão compartilhar as realizações, dificuldades e conquistas realizadas pelo grupo de cicloativistas, além de promover a bicicleta como meio de transporte, estilo de vida e veículo de transformação social.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Forum Mundial da Bicicleta



O primeiro Fórum Mundial da Bicicleta, que acontecerá em Porto Alegre de 23 a 26 de fevereiro de 2012, é um espaço para discutir o futuro das cidades e o papel da bicicleta nos âmbitos social, econômico, ambiental, esportivo e cultural. A iniciativa partiu da reunião de moradores de Porto Alegre que utilizam a bicicleta para a prática do esporte, transporte urbano, lazer, bem como empresários do setor de comércio e serviços.

A data para o Fórum Mundial da Bicicleta foi escolhida em virtude do aniversário de um ano do atropelamento intencional que ocorreu contra os participantes da Massa Crítica de Porto Alegre, em 25 de fevereiro de 2011, que gerou manifestações de solidariedade em diversas cidades do mundo e vem fomentado a discussão sobre a violência no trânsito.

A programação do evento traz painéis com a participação de expoentes do cicloativismo e das áreas de mobilidade urbana, ciclismo de competição, turismo relacionado à bicicleta e o papel da bicicleta no fomento à economia, bem como oficinas autogestionadas sobre diversos assuntos relacionados ao ciclismo urbano, turístico e esportivo. A participação tanto nos painéis quanto nas oficinas é gratuita e aberta a toda a população.

Lugar de realização dos painéis e oficinas:
Usina do Gasômetro
Endereço: Av. Presidente João Goulart, 551
Centro – CEP 90010-120
Porto Alegre / RS

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Valeu, GG!
Aconteça o que acontecer (a coluna foi escrita antes do desfile de domingo), o Carnaval foi um sucesso. Em torno de 30 mil pessoas na avenida prestigiando um evento que foi enterrado por políticos que sempre preferiram encobrir a sua incompetência, ouvindo as vozes conservadoras. Gastamos R$ 100 mil? Errado. Investimos R$ 100 mil. E que no ano que vem invista-se mais ainda. Esse valor é o orçamento de um dia da saúde, ou seja, pouco ou quase nada dá para se fazer por lá. Mas investido em uma festa popular, deu alegria àqueles que sofrem as agruras de um sistema que ainda não distribui adequadamente. Carnaval é cultura. E cultura se faz com investimentos públicos, sim. Defendi sempre, nesse espaço, e também quando fui governo, a realização desse importante evento. E, portanto, com a mesma tranquilidade de quem é crítico contumaz de alguns erros do governo, me sinto à vontade para elogiar um dos grandes acertos dessa administração. Como GG me confidenciou no sábado, na presença do Osni, que não será candidato à reeleição, vai aqui uma sugestão: que alguma escola homenageie no próximo ano quem de fato resgatou essa gostosa festa popular.

Referendo
Há uma diferença entre legitimidade e legalidade. No caso, consultar a população é legítimo, mas não em cima de uma lei que já esteja em plena vigência. É como consultarmos a população sobre a pena de morte. Alguém tem dúvida sobre qual o resultado? Mas sequer podemos propor referendo ou plebiscito sobre o tema!

Porto
Só vejo uma solução para desenrolar rapidamente tudo isso: pressão. Talvez esteja aí uma oportunidade ótima para a Cacisc mobilizar associados e abraçar a causa com o Executivo.

Ficha Limpa
A lei de iniciativa popular terá o condão de afastar políticos eleitos pelo voto popular. Em recente levantamento de dados, entrevistaram pessoas que eram a favor da Ficha Limpa, mas que votaram em candidatos ficha suja. Dá para entender?

Julinho
Junto com GG, que não tirou a cartola da cabeça, o presidente do Legislativo entrou no clima da folia e com um chapéu guarda-chuva, nas cores do arco-íris, homenageou a diversidade, que esteve presente nas escolas de nossa cidade. Parabéns!

Políticos
Ausência de alguns pré-candidatos a prefeito e dos deputados da cidade foi notada pela população. Não entendo como alguém que depende do voto popular esteja ausente de manifestações dessa magnitude.

Turismo
Resgatando monumentos históricos, o Carnaval e, quem sabe, fazendo uma Vigília como nos grandes tempos, podemos daqui a pouco começar a pensar mais seriamente em ações de turismo em nossa cidade. Basta querer!
Uergs
Fiquei orgulhoso de ver alunos e ex-alunos da Uergs classificarem-se nos primeiros lugares do concorrido concurso da Emater. Mostra-se com isso, mais uma vez, que naquele espaço temos um ensino de muita qualidade.

Bicicletas
O cicloativado convida os ciclistas para mais uma bicicletada Massa Crítica no próximo dia 24, às 19h, com saída da Praça José Bonifácio . E no próximo dia 26 acontece o primeiro Passeio Ciclístico Balneário Praia Nova, que conta com o apoio de Prefeitura, Cicloativado, Acer, ACCE e 32º BPM. Aproveitem!

Eleições 2012
A reviravolta no processo eleitoral promete ser grande. Os bastidores fervilham e as manchetes dos jornais deverão ser bem diferentes do que foram até agora. Aguardem!

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Equívocos no julgamento do Ficha Limpa

Uma das situações mais peculiares no que tange a lei do ficha limpa é a tese de que a inelegibilidade não é sanção. Já escrevi muito sobre isso mostrando que há duas espécies de inelegibilidade: a inata, comum a todos que não temos registro de candidatura por ausência de uma das condições de elegibilidade, e a cominada, que é uma sanção decorrente de fato ilícito.

Dos fatos ilícitos só nasce um efeito: sanção! Seja caducificante, seja deseficacizante, seja restritiva de direitos ou de liberdade. Mas é sempre sanção.

A ausência de filiação partidária é ausência de uma das condições de elegibilidade, ou seja, de um pressuposto para que o nacional possa concorrer. Não se trata de fato jurídico ilícito, mas de desatendimento a um pressuposto constitucional ou legal.

Quando um ministro do STF afirma que "inelegibilidade não é pena", faz proposição sem aderência na teoria jurídica. Qual a pergunta fundamental quando se quer tratar sobre a natureza jurídica de um instituto: de que fato jurídico ela provém: lícito ou ilícito?

É que não há efeito jurídico sem fato jurídico. Todo efeito jurídico - dirá Pontes de Miranda - é efeito de fato jurídico. Assim, para que eu saiba se a inelegibilidade de que se trata é ou não sanção, tenho que pousar os olhos sobre o fato jurídico que a antecede e lhe dá origem e perguntar: é fato lícito ou ilícito?

Uma lei com forte apelo popular, não pode e nem deve soterrar os predicados jurídicos. Mas infelizmente, essa enterrou!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Bar Opinião terá paraciclos


Muito legal a iniciativa do Bar Opinião, aqui em POA, de oferecer paraciclos para que os frequentadores possam dirigir-se até lá, com suas magrelas.

Fica uma dica: leve o seu cadeado, pois não serão oferecidos pela casa. No entanto, as bikes ficarão diante dos seguranças.

Forum do Leitor

Ter uma coluna ou um blog ( no caso ambos) como os mais comentados na história do Forum do leitor me deixa com uma responsabilidade ainda maior ao escrever.

Reportagens mais comentadas no Fórum do Leitor até o momento:
“Fumo e meio ambiente” (publicado em 2 de novembro de 2011) - 156 comentários
“Empresário mata cão de vizinha com enxadada na Vila Verde” (16 de março de 2011) - 141 comentários
“Vexame das arábias – Inter leva 2 a 0 do Mazembe” (15/12/2011) - 105 comentários
“Escrevi e assino embaixo” - Coluna de Julio Mahfus (11 de outubro de 2010) - 105 comentários
“Casal guei vira celebridade na cidade” (27 de outubro de 2011) - 103 comentários
“Médico criticado por atender bem demais” (9 de fevereiro de 2012) - 100 comentários

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Câmara e Referendo

Não foi desta vez que saiu um posicionamento da Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul a respeito do referendo em que a comunidade seria questionada sobre o número de vagas do Legislativo cachoeirense, já decidida anteriormente, pela própria Câmara, quando fixou, constitucionalmente, o número em quinze.

Na reunião desta terça-feira para tratar do assunto, ficou acertado que antes de uma decisão sobre o rumo da consulta popular, os vereadores estudarão quatro pareceres jurídicos.

Os entendimentos serão formalmente solicitados nesta quarta-feira ao Ministério Público Eleitoral, ao assessor jurídico da Câmara Municipal, Bruno Müller, à União de Vereadores Rio Grande do Sul (Uvergs) e ao Instituto Gama de Administração Municipal (Igam). A Uvergs e o Igam serão acionados por terem convênio com a Câmara de Vereadores de Cachoeira do Sul.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Cachoeira Paz e Amor
Gostaria muito, mas muito mesmo, que pudéssemos viver um momento de união por lutas importantes que já surgiram e poderão ainda surgir em nossa cidade. Esforços gastos em situações desconfortantes, em nada contribuem para o processo de desenvolvimento de uma cidade, pois de um embate de idéias, o vencedor precisa sempre ser o coletivo e não o individual. Por isso, muitas atuações que são ditas comunitárias, são apenas nos propósitos gerais, mas tem dono e tem marca. E com isso não agrega. Ao contrário. Desagrega e gera desconfiança, em relação à falta de transparência ou a natureza das informações prestadas, que são muitas vezes dirigidas a um conjunto da população que não possui o real discernimento da situação em si. Mas tudo isso é fácil de mudar. Bastaria que as lideranças falassem em nome de todos, e não em seu nome em especial e com isso, o pessimismo alardeado, transformar-se-ia em otimismo e principalmente, em comunhão de forças. Uma cidade que possui um deputado federal, um deputado estadual, um ministro e talvez daqui uns dias mais outro ministro, precisa aprender a criar oportunidades. E não simplesmente, estourar pontes, para que as suas convicções sejam as vencedoras, em detrimento da cidade em si.

UFSM
Não existe pessimismo como vejo apregoarem. O que existiu foi um ufanismo exagerado, no início do projeto, aonde os líderes chegaram a marcar datas de vestibular. Quem acompanha a coluna e meu blog, tem a exata noção da complexidade do projeto que ainda é um projeto e só deixará de ser a partir o momento que ressurgir o REUNI.

Referendo
Se a Câmara arquivar o projeto ou resolver aguardar a volta do recesso, o que pode fazer o Ministério Público? E GG, comprará essa briga?

Uma nova cidade
Quem realmente circula por toda a cidade, percebe claramente a ascensão de camadas antigamente pobres, para uma nova condição social. Essa nova classe, fruto da estabilidade econômica, não gosta de política, e muito menos da nossa elite.

Pólo educacional
UAB, ULBRA, UERGS e daqui a alguns anos a UFSM, transformam a nossa cidade em um pólo educacional. Por isso percebemos essa agitação, tão própria dos jovens e dos intelectuais. Sim, efetivamente temos intelectuais independentes em nossa cidade e que nem sempre pensam como querem que pensem. E isso é ótimo!

Carnaval
O que mudou? Ora, desde 2008 nunca mais houve interrupção. Com isso as escolas se preparam e conseguem envolver as suas comunidades. O resultado é uma festa mais bonita que a outra. Méritos para o GG e sua equipe, que comprou a idéia e bancou.

Eleições 2012
As esquerdas já chegaram a um consenso: unidas, ganham a eleição. E os pré-candidatos, já demonstram sensibilidade a isso.

Transporte Coletivo
Volto a insistir. O executivo tem um papel primordial em uma política de transporte público. Quanto menos gente utiliza, maior a chance de a tarifa subir. Independentemente da empresa concessionária. Além do que, licitação não significa necessariamente menor preço. Portanto, esse não é o foco. O resto é embate partidário.

Greve da Polícia
Vingar-se das greves legítimas, utilizando-se as PMS é um retrocesso. A PEC 300 é um sonho, que nem Dilma e nem Aécio, por exemplo, poderiam cumprir em curto prazo. Mas quem sabe, se diminuirmos os benefícios tributários e cortarmos alguns privilégios, quem sabe?

Tribunal de Justiça
Terminada a confusão e empossado o novo presidente do TJRS ele sai com a seguinte pérola: “Férias de sessenta dias é uma necessidade, porque trabalhamos 24 horas por utilizando o raciocínio”. E por que então “vendem” as suas férias? Ora, e um médico cirurgião ou Psiquiatra, ou um Advogado, não usam o raciocínio? Fim do privilégio, já!

Semana da Mulher
Tomara que a Câmara de Vereadores seja sensível e comemore exatamente no dia 08 de Março esse importante dia para todas as mulheres desse país. Será mais uma homenagem!

Plano de Carreira da UERGS

A Casa Civil confirmou que, nesta segunda-feira, 13, irá protocolar na Assembleia Legislativa, em regime de urgência, o projeto que instituirá o Plano de Carreira Docente da UERGS.

Na próxima quarta-feira, 15, às 10h, será realizado um ato político na sala da presidência da Assembleia, com a presença do Governo, sindicatos, associações de professores e servidores e Reitoria, para marcar a importância deste projeto para a consolidação da Universidade no cenário do Rio Grande do Sul.

O Sinpro/RS e a Aduergs convoca os professores para este ato, passo importante para consagrar a luta desenvolvida nos últimos anos.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Amanhã no cinezine: Até Oxalá vai a guerra!

As ações violentas executadas pela Prefeitura de Salvador através da demolição do Terreiro Oyá Onipo Neto conduzido por Mãe Rosa da Avenida Jorge Amado, surpreenderam negativamente por configurar um ato de intolerância Religiosa.

Salvador, a capital da Bahia é uma das cidades que tem o maior número de templos religiosos de todo o mundo, incluindo igrejas católicas e evangélicas, centros espíritas, casas de umbanda e terreiros de candomblé. É também a cidade que possui a maioria dos seus habitantes negros, mas onde o racismo em sua diversidade e sutileza acaba tendo ações devastadoras. Da educação e moradia, até o emprego e religiosidade sem esquecer o genocídio da população negra. O estado tem uma função fundamental na manutenção de tudo isto.

Se o Brasil é o país mais aberto do mundo a todas as religiões e crenças, Salvador é a expressão máxima desta qualidade principalmente pela forte influência e presença das tradições oriundas da África. Nada justifica nos dias atuais ações como esta que causaram danos muito sérios a toda uma construção espiritual de muitos anos e que tiveram então a resposta enérgica e necessária do povo de candomblé. Oxalá vai a Guerra, e todo o Povo de Axé também, sempre que for necessário!

Direção de Carlos Pronzato e Stefano Barbi-Cinti, 2008, 40 min.

ONDE

Até Oxalá vai a Guerra
13 de Fevereiro de 2012, 20h
Centro de Inovação Social (Casa Pirata)
Rua Quinze de Novembro, 931.
Cachoeira do Sul
Evento livre e libertário (gratuito)

sábado, 11 de fevereiro de 2012

UERGS traz aluno de Manaus

Por Vinicius Severo na edição de hoje do Jornal do Povo

Aos poucos, Cachoeira do Sul vai se transformando no polo de ensino superior que deverá se consolidar com a instalação da extensão da UFSM. A Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs) terá um acadêmico vindo de Manaus para estudar na cidade. A vinda do paranaense Ismar Gavillán, 43 anos, para o município contou com um empurrão do destino: a sua transferência para o 3º Batalhão de Engenharia de Combate. Aprovado no Enem, ele ficou com uma das vagas que o curso de Administração Rural e Agroindustrial abriu na cidade através do Sisu (Sistema de Seleção Unificada, do Ministério da Educação).

Assim como ele, o Sisu pode trazer outros estudantes de fora do município. Na lista de espera da Uergs há 63 inscritos, entre cidadãos de Cachoeira do Sul, Pelotas, Marau e também do Paraná. Apesar de alguns já terem feito inclusive a matrícula, sua vinda para o município ainda não pode ser comemorada, já que ainda podem fazer opção por outras instituições.

MODELO - Possibilidades à parte, o certo é que a figura do subtenente Ismar poderia servir de modelo para a proposta que o município tem de divulgar suas potências e atrair estudantes de fora da cidade. No final desta semana, ele contou rapidamente a história de sua vinda para a cidade em um papo informal animado na vila dos militares cachoeirenses, na casa da cunhada, onde está residindo. Ismar contou que seu sonho era voltar a Cachoeira, onde havia trabalhado entre 2002 e 2005, se formar e se aposentar no município“.
A procura total pelos cursos da Uergs via Sisu foi de 371 inscritos, sendo 146 em Administração, 108 em Agroindústria e 117 em Agropecuária.

Uergs volta a planejar crescimento
O coordenador interino da Uergs, professor Julio Mahfus, reconheceu que a instituição esperava uma procura maior por inscritos nos seus cursos este ano. Ele credita à não ocorrência de provas na cidade o resultado, que teve 97 inscritos no curso de Administração Rural, e menos do limite de vagas nos cursos de Tecnologia em Agroindústira e Tecnologia em Agropecuária. “Muitos me confessaram que, sendo as provas em Porto Alegre e também pelo concurso do INSS no mesmo dia, acabaram optando por não fazer”, comenta Mahfus. Outro fator é que os cursos tecnológicos possuem aulas no período diurno, o que dificulta para acadêmicos que possuem emprego.
Ele avalia, porém, que há uma boa disputa por vagas no curso de Administração. “São três candidatos por vaga, é um resultado a ser comemorado. Para 2013, a Uergs deve trabalhar para aumentar essa procura”, comenta. Mahfus já projeta mudanças necessárias na estrutura da universidade no município para comportar o desejo de oferecer também Agronomia no próximo ano. A ideia é viabilizar recursos para reformar o terceiro piso do prédio da unidade. “Hoje não temos salas. Uma estrutura melhor nós vamos ter com a demanda pelos cursos”, comentou.

Vida tranquila
Ao longo da conversa, que durou cerca de 20 minutos, o paranaense Ismar Gavillán relatou sua admiração por Cachoeira. “É uma cidade tranquila, boa para criar os filhos e com um rio maravilhoso. Aqui você não passa fome, basta ter uma linha e anzol, esses dias mesmo voltei com 50 pintados para casa”, brincou, convidando a reportagem para entrar no pátio da casa e mostrar os três cachorrinhos da família que fez questão de trazer junto após a viagem de avião. “Paguei R$ 5 mil para que eles pudessem nos acompanhar. São da família, não poderia abandonar eles”, continuou o subtenente, pai de dois filhos, Ismar Júnior, de 14 anos, e Gabriela, de 19.
Outros pontos enaltecidos por Ismar do município são a cordialidade da população cachoeirense e o sossego da cidade. “Aqui você anda pelas ruas e as pessoas te cumprimentam, em Manaus isso não acontece. É muito diferente. É bom ser reconhecido”, completou. Apesar de ter passado os últimos sete anos fora da cidade, Ismar mostrou estar por dentro da realidade do município, falando sobre a vinda da UFSM e revelando que acompanha diariamente as notícias no site do Jornal do Povo.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Ciclo de Sarau: Bicicletas, Música e Poesia


O coletivo comunitário de bicicletas de cachoeira do sul e o centro de inovação social convidam para o primeiro ciclo.de.sarau. Um evento que pretende reunir arte e paixão por bicicletas, através da leitura de textos dramáticos, poesia e microapresentações musicais.

Além de promover a integração entre artistas, ciclistas, cicloativistas, escritores, músicos e poetas em torno da causa bicicleta, o encontro também será a primeira oportunidade do ano para quem tem interesse em colaborar com o cicloativado e celebrar o retorno das atividades do grupo.

Durante o sarau, será servido um punch (ponche) não alcoólico para refrescar e animar as conversas. Voluntárias e voluntários do cicloativado e da casa pirata, estarão servindo os convidados e arrecadando doações em peças novas/usadas e/ou dinheiro, que serão utilizados na reforma das 13 bicicletas há serem doadas à comunidade, conforme a declaração de princípios do coletivo.

Traga sua intervenção poético-musical e generosidade.

Serviço
ciclo.de.sarau
evento livre e libertário (gratuito)
sexta-feira, 10 de fevereiro, 20h.
centro de inovação social (casa pirata)
rua quinze de novembro, 931
cachoeira do sul

Governo dos EUA quer carros mais "ecológicos"


A foto tem o intuito de chamar a atenção. Mas as regras do governo Barack Obama para forçar a fabricação de carros mais eficientes e ecológicos sofreu críticas duras dos concessionários de veículos.

"O preço do carro aumentará impedindo que milhões de pessoas comprem carros. Nós já vivemos esse pesadelo e não queremos repeti-lo. Queremos políticas publicas de verdade", disparou Bill Underriner em seu discurso de posse como presidente da NADA (associação dos distribuidores de veículos), em tom de convenção republicana.

Segundo cálculos da NADA, as medidas implicarão em um aumento de US$ 3.000 no preço do carro e 7 milhões de pessoas deixariam de comprar veículos novos.

Sob forte aplauso de uma plateia de concessionários, Underriner exaltou a força da entidade e afirmou que a NADA está preocupada e já iniciou conversas em Washington para barrar as medidas.

De acordo com as regras anunciadas pelo governo, até 2025 o consumo médio dos veículos oferecidos nos EUA, por marca, deve ser de 54,5 milhas por galão (23,17 km/l)

Hoje apenas 2% dos modelos americanos têm esse desempenho. Carros como os elétricos Nissan Leaf e Cheveolet Volt, e os híbridos Ford Fusion Hybrid e Toyota Prius.

"Não somos contra até porque é bom para o consumidor, mas nossa preocupação é o impacto que isso pode ter no preço para o varejo. Há um discurso se que o consumidor terá um ganho em suas vidas ao pagar mais caro por um carro mais ecológico, mas sabemos que não é assim que se vende carro", encerrou.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Coluna de segunda no Jornal do Povo


Quando a educação será prioridade?
Na UFRJ, por exemplo, metade dos alunos nunca entrou na biblioteca. Isso ajuda a explicar porque os brasileiros lêem em média um livro por ano. E hoje com a internet, não temos mais a desculpa do livro ser caro. Baixa-se de graça. E isso, talves ajude a explicar , porque em qualquer pesquisa, a população quer mais saúde, ou quer asfalto e a educação fica em segundo plano. Se não é prioridade para a população, porque seria para os governos? Em verdade, os pais preocupam-se em saber se a escola está aberta. Praticamente não dão nenhuma bola para a formação de seus filhos. Como os filhos são um problema, para a maior parte deles, a escola serve como abrigo. Não como centro de formação. E isso é cultural. A educação do país, como um todo, passa por uma crise sem precedentes e estamos todos alheios a essa discussão. E todos dirão: a culpa é do governo. Errado. A culpa é da sociedade, que não prioriza o tema. E aqui, em nossa cidade, não é diferente. Entre uma “lambida” de asfalto ou um salário melhor para os professores ou uma sala de aula, as pessoas escolhem o primeiro. Aliás, apenas no Brasil que um professor ganha menos que qualquer servidor público. Mas volto a dizer, que a culpa desse descalabro é da própria sociedade. Estou mentindo? Claro que não. Todas as pesquisas comprovam . Isso me lembra o artigo do Claúdio de Moura e Castro, em Veja e o desafio de comprarmos estantes para livros. Elas não existem, por uma lógica de mercado. Se ninguém lê, para que fabricar estantes?

Cicloativado e cultura
O cicloativado e o centro de inovação social convidam para o primeiro ciclo.de.sarau. Um evento que pretende reunir arte e paixão por bicicletas, através da leitura de textos dramáticos, poesia e microapresentações musicais. No evento serão aceitas doações para que possam montar 13 bikes e doar para a comunidade.
Aldeanos
A escola de samba está se preparando para fazer bonito nesse carnaval. E a bateria, que tem como mestre, o grande Lico, pretende botar para quebrar na avenida. Torcendo muito pelo sucesso, da escola que está no meu coração.

Calçamento das ruas
Ao invés de asfaltar o centro, precisam-se calçar as ruas do bairro. É inconcebível que em pleno século XXI, tenhamos cachoeirenses caminhando no barro ou na poeira. E por favor, com pedras. Nada de asfalto, porque além de caro, esquenta o ambiente e impede a drenagem urbana.

Referendo para Concessões
O fato do MP dizer que é possível referendar leis vigentes, criou desdobramentos. Informaram-me que após o carnaval, um coletivo de abrangência nacional, começa a coletar assinaturas, para apresentar projeto de iniciativa popular propondo a revogação da concessão da TNSG. E agora?

Mariana
Os constantes ataques que a vereadora vem recebendo, são frutos do excelente trabalho de seu mandato. Entenderam alguns, que ela passa a ser uma ameaça em potencial ao estabilishment. Aliás, ainda não engoliram o fato de seu grupo colocar quase cinco mil pessoas na rua, em prol da UFSM. Mas isso é do jogo. Os adversários só surgem, se você realmente trabalha.

Blogueira Cubana
Será que do lado de cá não sabiam que a Yaony era financiada pelos capitalistas? Como é possível alguém ter um canal de satélite em Cuba? Ou quem traduz seu blog para mais de 20 idiomas? Mas tudo isso, não justifica o fato de a manterem presa em seu país. Ditaduras de direita e de esquerda são sempre detestáveis.

Comissão da Verdade
Está mais do que na hora de abrirmos os porões da ditadura militar. Inocentes foram mortos e torturados. Famílias separadas. E as liberdades, todas elas, suprimidas. Ou isso não aconteceu? Sim, aconteceu. E eu não quero que nunca mais aconteça. Portanto, que se exponham as entranhas podres desse período.

Judiciário
Quem acompanha essa coluna sabia que isso mais cedo ou mais tarde ia acontecer. Abrir a caixa-preta é essencial, para que os bons juízes e que são muitos, sejam protegidos. Mas quero destes, apoio as causas da transparência, e em especial ao fim dos seus privilégios, como ter 60 dias de férias por ano. Senão, fica difícil separa o joio do trigo.

UFSM
Cheio de dedos comento, em razão do quase estado policial que cerca o tema. Mas se não me engano, não haviam prometido vestibular para 2011? E depois para 2012? Pelo que entendi, a nossa situação ainda está igual a 2010, ou seja, há um namoro. Aliás, está muito parecido com a parceria do Internacional com a AG, ou não?

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Tribunal paulista cria o "auxílio-tablet"

O Tribunal de Justiça de São Paulo criou em janeiro um auxílio para seus desembargadores e juízes no valor de R$ 2.500 para a compra de notebooks, netbooks ou tablets, informa reportagem de Flávio Ferreira, publicada na Folha deste sábado.

O benefício pode ser usado a cada três anos.

Se os mais de 2.500 magistrados do Estado pedirem o auxílio, que será dado na forma de reembolso, o custo para o tribunal será de cerca de R$ 6,2 milhões.

De acordo com a direção do tribunal paulista, a criação do auxílio "implica medida de economia de recursos financeiros e administrativos".

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

As luzes derrotaram a escuridão: CNJ pode sim investigar!

Gilmar Mendes - a favor: “Até as pedras sabem que as corregedorias não funcionam para investigar os próprios pares. Quando se exige que o processo comece na corregedoria do tribunal, se quer transformar o CNJ num órgão de correição das corregedorias.”

Marco Aurélio - contra: “Não podemos conceber que possa o CNJ pinçar aleatoriamente as reclamações que entenda deva julgar pelo envolvido, fulminando de morte o princípio da impessoalidade, que é um princípio da administração pública.”

Ricardo Lewandowski - contra: "O CNJ, embora tenha recebido essa competência complementar, não pode exercê-la de forma imotivada, visto que colidirá com princípios e garantias que os constituintes originários instituíram em prol não apenas dos juízes.”

Ayres Britto - a favor: O sistema de fiscalização, com a introdução do Conselho Nacional de Justiça, se aperfeiçoou ficou bem mais lógico. Não vejo o CNJ como problema, vejo como solução.

Cármen Lúcia - a favor: “A finalidade básica do Conselho Nacional de Justiça é controle e disciplina. As normas não desafinam, o que pode desafinar é o intérprete.”

Joaquim Barbosa - a favor: “As decisões do conselho passaram a expor situações escabrosas no seio do Poder Judiciário. Vem essa insurgência súbita a provocar toda essa reação corporativa contra um órgão que vem produzindo resultados importantíssimos.”

Cezar Peluso - contra: “Não tenho restrição em reconhecer que o CNJ tem competência para iniciar procedimentos, e também não tenho restrição para que, quando o fizer, dê a razão pela qual está prejudicando a competência do tribunal local.”

Celso de Mello - contra: “Se os tribunais falharem, cabe assim, então, ao conselho investigar. Não cabe ao conselho dar resposta para cada angústia tópica que mora em cada processo.”

Rosa Weber - a favor: “A iniciativa do CNJ independe de motivação expressa, sob pena de originalmente eu estar a retirar a finalidade do controle a ele conferido. O CNJ pode, sim, tem competência primária para exercer o controle administrativo disciplinar.”

Luiz Fux - contra: “Temos como atribuição a guarda da Constituição. Temos, sob o ângulo da tecnicidade, que conciliar a autonomia das corregedorias dos tribunais com a existência do CNJ.”

Dias Toffoli - a favor: “As competências do Conselho Nacional de Justiça acabam por convergir com as competências dos tribunais. Mas é certo que os tribunais possuem autonomia, não estamos aqui retirando a autonomia dos tribunais.”