jmahfus@hotmail.com

quarta-feira, 29 de abril de 2009

SUPERSALÁRIOS

A assembléia legislativa fez muito bem em cortar os supersalários. Deu vazão a moralidade administrativa. Uma lástima, no entanto, que TCE, Ministério Público e Tribunal de Justiça já decidiram não mexer nos supersalários no RS.
São 149 casos no TCE, 10 no Poder Judiciário e 15 no Ministério Público. Seriam mais de 10 milhões ao ano, de economia aos cofres públicos.

terça-feira, 28 de abril de 2009

FILHA DE FHC

Em carta endereçada a Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro-secretário do Senado, Luciana Cardoso pediu demissão.Luciana é filha do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Recebia contracheque do Senado desde 2003. Coisa de R$ 7,6 mil mensais. Deveria despachar no gabinete do senador. Mas não dava as caras. Pilhada pela coluna da repórter Mônica Bergamo, Luciana vocalizou emendas que pioraram o soneto."Trabalho mais em casa, na casa do senador. Como faço coisas particulares e aquele Senado é uma bagunça e o gabinete é mínimo, eu vou lá de vez em quando”.
Perguntou-se a Luciana se já havia entrado no gabinete de Heráclito. E ela: “Cabe não, meu filho! É um trem mínimo e a bagunça, eterna”.

LATIN LOVER

O governo brasileiro tem uma informação de cocheira sobre a situação de Fernando Lugo: faltam apenas dois votos no congresso do Paraguai para que se formalize o pedido de impeachment do latin lover de batina.

UFSM

Meritória a iniciativa de membros da comunidade cachoeirense em reunir-se com a UFSM. Embora entenda, que a UNIPAMPA poderia nos ofertar uma gama maior de cursos, ensino gratuito sempre é bem vindo. Espero, apenas, que não sejam cursos que a UERGS e a UAB já ofereçam por aqui. Como sequer fui consultado ( claro que aqui há um componente político ), embora a idéia original de universidade gratuita por aqui seja desse editor, estarei na torcida de longe.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

MODERNIDADE OU ATRASO? ( Coluna publicada originalmente no Jornal do Povo desta segunda-feira)

Minhas andanças profissionais pelo nosso estado, como também fora daqui, me oportunizou a reflexão sobre um tema, que muitas vezes, nós não percebemos a sua importância: a tecnologia. E em cima disso percebi como estamos atrás de outras cidades e também, como isso dificulta o nosso desenvolvimento.
Estou há cerca de um mês tentando instalar internet em meu escritório, via telefone. Não consigo. A desculpa é que não temos “portas”. Aliás, um telefone convencional hoje, que possibilite ligações internacionais, leva também um mês para ser instalado. Isso é um absurdo. Embora privatizado, continuamos reféns de uma única operadora. Apelei para a internet móvel. Como tenho um plano cooperativo, arrisquei. A resposta era de que levaria ao menos quinze dias. Sobrou a internet a rádio. Eu não vou embora daqui. Minha família mora aqui. Também não sou grande. Mas bem ou mal, emprego diretamente quinze pessoas.
Dei-me conta, também, que não temos televisão a cabo por aqui. Muito menos redes sem fio para que possamos interagir com o mundo. Pior: um grande empresário, amigo e cliente meu, que pretende investir pesado em nossa cidade e região, todas as vezes que vem para a nossa cidade, tem que deixar seu avião em Santa cruz ou Santa Maria, porque nosso “aeroporto” não oferece condições para tal. Ora, como podemos pensar em desenvolvimento se não temos o mínimo suporte a oferecer? Como investir em atração de turistas, sem coisas básicas como essas que eu listei?
Às vezes ficamos pensando como é bom morar em uma cidade pequena. Eu diria que é bucólico. Mas ao mesmo tempo é decepcionante perceber que ainda estamos preocupados apenas com remedinhos, buraquinhos, ou outras coisas que dizem respeito apenas ao indivíduo. E não pensamos no futuro. Talvez essa seja uma boa pauta para a Secretaria de Desenvolvimento: ofertar acesso à tecnologia para quem aqui quer se instalar. Ou nos encaminhamos para tornarmo-nos a vanguarda do atraso. Escrevi e assino embaixo.

FARRA DAS PASSAGENS ( Do blog do Josias de Souza)

Não entrei na discussão das passagens aérea, porque o debate deve ser feito em todas as instâncias do Estado brasileiro. Olha como o STF se comporta sobre o tema:
A Justiça, como se sabe, é cega. Mas não é boba. A exemplo dos parlamentares, os ministros de tribunais superiores também têm lá as suas mordomias.
Dispõem, por exemplo, de cotas de passagens aéreas. No caso do STF, cada um dos 11 ministros pode gastar R$ 42.848,20 por ano.
Diz-se que a cifra custeia o ir e vir dos ministros entre Brasília e seus Estados de origem. O dinheiro para as viagens a serviço saem de outra rubrica.
Numa conta que inclui o vaivém de servidores, as despesas aéreas do Supremo somaram algo como R$ 4 milhões em cinco anos.
Nesse período, deram um salto de 320%. Em 2003, o tribunal gastava R$ 269 mil. Em 2008, torrou R$ 1,133 milhão. Neste 2009, por ora, R$ 304,66 mil.
As despesas com viagens de funcionários sorveram da bolsa da Viúva R$ 2,2 milhões desde 2003.
Os deslocamentos dos ministros custaram às arcas públicas R$ 1,8 milhão –R$ 970 mil da cota individual dos 11 magistrados e R$ 837 mil para os vôos a serviço.
Sob pancadaria diária, o Congresso se prepara para levar suas despesas à internet. No Executivo, há um “Portal da Transparência”.
O Judiciário, por enquanto, gasta à sombra. Renderia homenagens ao contribuinte se levasse todas as suas despesas à vitrine.
Em relação às passagens, eis algumas pulgas que saltitam atrás da orelha:
1. A cota dos ministros do STF tem prazo ou gera sobras como as que permitiram a congressistas viajar para a passeio?
2. A milhagem é creditada para o tribunal ou é abiscoitada pelos viajantes?
3. Vale viagem de parente?

domingo, 26 de abril de 2009

DEPUTADO MARCON (PT)

O deputado estadual Dionilso Marcon (PT) e seu assessor Valmor José Dal-Oglio estão em estado regular após sofrer acidente de automóvel na RS-472, km 10, em Vista Alegre e seguem internados no Hospital de Caridade de Divina Providência‎ no município de Frederico Westphalen. Segundo o assessor Valmor José, condutor do veículo Ford F-250, que conduzia o parlamentar de volta a Porto Alegre, a caminhonete foi atingida de frente por uma moto (o piloto morreu na hora), e que outras sete estavam em alta velocidade na mesma direção, no sentido contrário ao seu veículo. Valmor informou aos policiais rodoviários estaduais que no instante do acidente quatro motos tentavam ultrapassaram em alta velocidade um veículo Pálio que estava no mesmo sentido das motos, sendo que duas o fizeram pelo acostamento e duas pela pista contrária.

DILMA


A doença de DILMA pode dificultar, ainda mais a eleição presidencial para o PT. Primeiro porque não se sabe a extensão da doença. Em segundo, porque não se sabe ainda, como isso se refletirá no eleitorado. Lula começa a colocar as barbas de molho.

sábado, 25 de abril de 2009

A SESSÃO POLÊMICA


Transcrevo parte da sessão,que gerou o maior "barraco" dos últimos 200 anos do Supremo, em razão dos pedidos feitos. Vai lá:
Leia abaixo a íntegra da sessão que gerou o bate boca:
Menezes Direito - O tema é exatamente igual.
Cesar Peluso - Mas as consequências são de uma gravidade... é a anulação de todos os processos criminais já julgados, cumprimento de penas, etc.
Carmen - A questão da modulação é que é a mesma, mas a matéria.
Direito - Se vossa excelência quiser tirar de pauta.
Cármen - Talvez fosse de conveniência que esse aqui não fosse julgada agora, presidente.
Gilmar Mendes - É a prova que é preciso embargos de declaração nesse tipo de matéria.
Joaquim Barbosa - No caso anterior era embargos de declaração para dar aposentadoria a notários. Aqui, embargos de declaração para impedir o desfazimento...
Mendes - Não se trata disso.
Barbosa - Se trata disso, ministro Gilmar.
Mendes - Não, nada disso, desculpa.
Barbosa - A lei fala expressamente ...
Mendes - ... de aposentadoria de pessoas, vossa excelência que está colocando... não é nada disso. O parâmetro ideológico é vossa excelência que está dando. Porque senão aí o causuísmo fica por conta dos eventuais interessados.
Barbosa - Pois é. Nós deveríamos ter discutido quem seriam os beneficiados.
Mendes - A doutrina responsável defende essa possibilidade de que, cito Rui Medeiros e outros, de que se houver omissão, porque é dever do tribunal, ele próprio perquirir, não se trata de fazer defesa de A ou B, esse discurso de classe não cola.
JB - Porque a decisão era uma decisão de classe.
GM - Não, não era decisão de classe.
JB - Era sim.
GM - Não.
(espera)
CP - Agora. O tribunal tem a sua exigência de coerência.
GM - O tribunal pode aceitar ou rejeitar, mas não com o argumento de classe. Isso faz parte de impopulismo judicial.
JB - Eu acho que o segundo caso prova muito bem a justeza da sua tese. Mas a sua tese ela deveria ter sido exposta em pratos limpos. Nós deveríamos estar discutindo ...
GM - Ela foi exposta em pratos limpos. Eu não sonego informação. Vossa Excelência me respeite. Foi apontada em pratos limpos.
JB - Não se discutiu a lei...
GM - Se discutiu claramente.
JB - Não se discutiu
GM - Se discutiu claramente e eu trouxe razão. Vossa Excelência... Talvez Vossa Excelência esteja faltando às sessões.
JB - Eu não estou...
GM - Tanto é que Vossa Excelência não tinha votado. Vossa Excelência faltou a sessão.
JB - Eu estava de licença, ministro.
GM - Vossa Excelência falta a sessão e depois vem...
JB - Eu estava de licença. Vossa Excelência não leu aí. Eu estava de licença do tribunal.
GM - Portanto...
CB - Senhor presidente, eu vou pedir vista do processo.
GM - Ministro Direito rejeita...
MD - Estou mantendo a coerência. Para mim não existe distinção. Nós estávamos discutindo a tese, que foi posta claramente, de saber se, havendo não decisão alguma, nem constando do pedido, a questão dos efeitos modulados se caberia ou não caberia embargo de declaração. Eu já estou com esse processo em pauta há muito tempo, mas como havia um outro que já estava em curso, eu aguardei julgar o outro que estava em curso. A tese é exatamente a mesma e eu estou rejeitando os embargos com esse fundamento.
CP - Se Vossa Excelência me permite, eu acho que há uma distinção aqui. No caso anterior, nós discutimos e conhecemos dos embargos. Os embargos foram rejeitados. Em outras palavras, o tribunal considerou admissíveis os embargos de declaração e rejeitou. Neste caso nós podemos considerar conhecer dos embargos e agora temos de discutir se nós vamos ou não vamos conceder esse efeito limitado.
MD - Ministro Peluso, se vossa excelência me permite, eu compreendo perfeitamente a tese que vossa excelência está sustentando. Só que é exatamente o caso, eu estou conhecendo dos embargos e estou rejeitando pelo menos fundamento que nós adotamos como foi claramente discutido aqui. A única diferença que pode existir é quanto à matéria substantiva. Mas quanto à tese que está sendo observada nos embargos de declaração ela é absolutamente idêntica. É prudente, claro, diante das advertências que foram feitas - e essa corte faz isso com absoluta tranquilidade sempre, com absoluta transparência, sempre - que se examine e se reexamine a jurisprudência. Não é uma coisa santificada.
GM - E não teve outro caso, se não me engano do Rio Grande do Sul, em que o tribunal - não sei se era matéria de concurso ou coisa assemelhada - em que se discutiu também em embargos de declaração porque o próprio tribunal do Rio Grande do Sul fazia advertência das consequências, e o tribunal houve por bem rejeitar os embargos, mas não os disse inadimissíveis.
MD - Eu não estou entendendo que é inadimissível também. Estou conhecendo dos embargos, porque os embargos podem ser conhecidos. Como é uma tese que estava em controvérsia eu estou rejeitando os embargos pela mesma fundamentação. Mas o ministro Carlos Britto vai pedir vista do processo. Quem sabe Sua Excelência, examinando o processo, encontre uma omissão que eu não encontrei e nessa omissão (densa essa corte de supri-la) e, suprindo-a, acolher os embargos também com a extensão dos efeitos modulativos, não em função da omissão dos efeitos modulativos, mas sim em razão de uma outra eventual omissão que possa ter existido.
CP - Essa matéria é de uma delicadeza extrema.
CB - Vai ser muito difícil divergir de Sua Excelência.
CP - Significa a anulação de todos os processos julgados em execução desde 2005.
CL - De 2002 a 2005.
GM - Portanto, após o voto do relator que rejeitava os embargos, pediu vista o ministro Carlos Britto. Eu só gostaria de lembrar em relação a esses embargos de declaração que esse julgamento iniciou-se em 17/03/2008 e os pressupostos todos foram explicitados, inclusive a fundamentação teórica. Não houve, portanto, sonegação de informação.
CB - Tá bem claro.
JB - Eu não falei em sonegação de informação, ministro Gilmar. O que eu disse: nós discutimos naquele caso anterior sem nos inteirarmos totalmente das consequências da decisão, quem seriam os beneficiários. E é um absurdo, eu acho um absurdo.
Mendes - Quem votou sabia exatamente que se trata de pessoas...
Barbosa - Eu chamei a atenção de vossa excelência.
Peluso - Não, mas eu já tinha votado porque compreendia uma classe toda de serventuários não remunerados.
Barbosa - Só que a lei, ela tinha duas categorias.
Peluso - Não apenas notários.
Barbosa - Tinha uma vírgula e, logo em seguida, a situação de uma lei. Qual era essa lei? A lei dos notários. Qual era a consequência disso? Incluir notários nos regimes de aposentadorias de servidores ...
Mendes - porque pagaram por isso durante todo o período e vincularam...
Barbosa - ora, porque pagaram...
Mendes - se vossa excelência julga por classe, esse é um argumento...
Barbosa - eu sou atento às consequências da minha decisão, das minhas decisões. Só isso.
Mendes - vossa excelência não tem condições de dar lição a ninguém.
Barbosa - e nem vossa excelência. Vossa excelência me respeite, vossa excelência não tem condição alguma. Vossa excelência está destruindo a justiça desse país e vem agora dar lição de moral em mim? Saia a rua, ministro Gilmar. Saia a rua, faz o que eu faço.
Britto - ministro Joaquim, nós já superamos essa discussão com o meu pedido de vista.
Barbosa - Vossa excelência não nenhuma condição.
Mendes - eu estou na rua, ministro Joaquim.
Barbosa - vossa excelência não está na rua não, vossa excelência está na mídia, destruindo a credibilidade do Judiciário brasileiro. É isso.
Britto - ministro Joaquim, vamos ponderar.
Barbosa - vossa excelência quando se dirige a mim não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite.
Mendes - ministro Joaquim, vossa excelência me respeite.
Marco Aurélio - presidente, vamos encerrar a sessão?
Barbosa - Digo a mesma coisa.
Marco Aurélio - eu creio que a discussão está descambando para um campo que não se coaduna com a liturgia do Supremo.
Barbosa - Também acho. Falei. Fiz uma intervenção normal, regular. Reação brutal, como sempre, veio de vossa excelência.
Mendes - não. Vossa excelência disse que eu faltei aos fatos e não é verdade.
Barbosa - não disse, não disse isso.
Mendes - Vossa excelência sabe bem que não se faz aqui nenhum relatório distorcido.
Barbosa - não disse. O áudio está aí. Eu simplesmente chamei a atenção da Corte para as consequências da decisão e vossa excelência veio com a sua tradicional gentileza e lhaneza.
Mendes - é vossa excelência que dá lição de lhaneza ao Tribunal. Está encerrada a sessão.

JOAQUIM, O ENCRENQUEIRO


Longe de defender qualquer Ministro do STF. Mas o ministro Joaquim tenta transformar a mais alta corte do país em uma casa de espetáculos. Talvez esteja espelhando-se em Protógenes. Aliás, em pleno dia de expediente foi almoçar com amigos no centro do Rio de Janeiro.Sobre a mesa de Joaquim Barbosa repousam 17.207 processos.É, de fato, o campeão de pendências. Depois dele, as mesas mais apinhadas são as de Marco Aurélio Mello (13.015 processos), Carlos Alberto Menezes Direito (11.596),carlos Ayres Britto (9.201), Cezar Peluso (8.472), Ellen Gracie (8.325), Cármen Lúcia (7.982),Ricardo Lewandowaki (6.180), Celso de Mello (5.909), Eros Grau (3.934) e Gilmar Mendes (2.723). No caso de Gilmar, o quadro do tribunal atribui 2.416 ao “presidente” e 307 ao “ministro”.
Embora relevante, a quantidade de processos não é o único parâmetro na aferição da produtividade de um ministro.
Aliás, acumular processos, enquanto desfrutam de sua "autoridade" não é só no Supremo. Aqui na terra, temos muitos casos iguais. É um encrenqueiro. Na ponta do lápis, já se indispôs com seis colegas. No STF: Gilmar, Marco Aurélio Mello, Eros Grau e Celso de Mello. No TSE: Felix Fischer e Arnaldo Versiani

sexta-feira, 24 de abril de 2009

CACISC AO MEIO DIA

Foi um sucesso de público e de crítica a apresentaçãao do deputado federal José Otávio germano, hoje ao meio dia na SRB. Com presença maciça de prefeitos da região e do empresariado local, o deputado prestou contas de sua atuação parlamentar e liberou, através de emenda parlamentar, um milhão de reais para o HCB.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

SINDICATO PELEGO

O SINPRO que é controlado pelos petistas, demonstrou sua face pelega, quando aceitou retornar as aulas na ULBRA. Foi deprimente a entrevista do Presidente do Sindicato, dizendo que os salários estavam sendo colocados em dia. Pelo que sei, não foi nenhum ato de vontade da Reitoria e sim da Justiça. No meu tempo, chamávamos de pelego. Quem perde mais? Os alunos que estão sustentando a tudo e a todos.

VANGUARDA DO ATRASO

Noss Secretario de Desenvolvimento precisa pensar em modernizar logisticamente nossa cidade. É um absurdo que tenhamos que buscar subterfúgios outros para termos acesso a internet; que levemos mais de uma semana para termos uma linha telefônica; ou que sequer tenhamos net. Sem falar no aeroporto. Desenvolvimento se faz com tecnologia.

terça-feira, 21 de abril de 2009

PRESÍDIO

Foi o editor do blog o primeiro a publicar matéria sobre a necessidade de buscarmos um presídio de segurança máxima para a nossa cidade. Apropriaram-se da idéia e querem uma reforminha no já existente. Isso não traz nenhum benefício. Quem quiser saber como se faz, é só perguntar.

CRISE NA ULBRA

Para sair da crise, novo Reitor tenta reorganizar a Universidade. E para isso, pretende cortar a própria carne. Todos os Pro-reitores e Diretores deverão ser trocados. E ao que parece não serão apenas trocas de lugar. Aguardemos.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

DEFENDER


A Defender – Defesa Civil do Patrimônio Histórico, aqui de cachoeira do Sul, em uma iniciativa do Telmo Padilha, lançou uma petição eletrônica para protestar contra a destruição do patrimônio cultural do Rio Grande do Sul e em defesa da criação de uma promotoria especializada na defesa do patrimônio cultural e turístico do Estado. O abaixo assinado, que será entregue à Procuradora Geral de Justiça do RS, Simone Mariano da Rocha, afirma:
“Tornou-se insuportável ver a destruição do nosso patrimônio cultural material e a corrente impunidade que se transforma em exemplo em cada canto do Estado. Estes exemplos impunes formar uma gigantesca e avassaladora onda que está acabando com o pouco que resta do nosso patrimônio cultural material, em flagrante desrespeito à nossa Constituição, às leis e aos acordos internacionais”.

domingo, 19 de abril de 2009

AÍ SIM

O delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, ex-chefe da Operação Satiagraha, usou passagens da quota de pelo menos um deputado do PSOL para viajar e participar de eventos coordenados pela legenda. A prática configura envolvimento em "atividade político-partidária". O artigo 43, inciso 12, da Lei 4.878/65, que estabelece o regime jurídico da PF, proíbe que delegados se envolvam com partidos políticos. Luciana Genro, principal fornecedora das passagens, promete explicações. Um dia da caça outro do caçador.

PARLASUL

Osni Schroeder, lider classista de renome nacional, tem sido sondado pelo PT para ingressar em seus quadros e concorrer ao PARLASUL ou qualquer outro cargo eletivo que se proponha. A fonte é extremamente confiável.

sábado, 18 de abril de 2009

CURSOS DA UNIPAMPA

Estes são alguns dos cursos oferecidos pela UNIPAMPA:
Ciência da Computação
Engenharia Civil
Engenharia Elétrica
Engenharia Mecânica
Engenharia de Produção
Engenharia de Alimentos
Engenharia Química
Engenharia Computacional
Engenharia de Energias Renováveis e Ambientes
Licenciatura em Física
Licenciatura em Química
Licenciatura em Matemática
Licenciatura em Letras - Português/Espanhol
Licenciatura em Letras - Português/Inglês
Geofísica
Licenciatura em Ciências Exatas
Curso Superior de Tecnologia em Mineração
Agronomia
Zootecnia
Jornalismo
Publicidade e Propaganda
Serviço Social
Ciências Sociais - Bacharelado em Ciência Política
Admnistração
Relações Internacionais
Fisioterapia
Veterinária.

Está bom, ou querem mais?

PRESÍDIOS

Me senti reconfortado com a matéria do JP de hoje sobre a possibilidade de construção de um novo presídio em Cachoeira do Sul. Até porque foi este editor e colunista daquele jornal que levantou, em primeiro lugar, a bandeira, embora nenhuma menção tenha sido feita. Mas é bom vermos nossas idéias serem contempladas pelas autoridades públicas de nossa cidade.

AH, OS NOSSOS INTELECTUAIS

Alguns pseudo-intelectuais cachoeirenses amam a ULBRA. Mas não matriculam seus filhos lá. Aliás, da nossa elite, poucos são os que mantém seus filhos naquela instituição. Inclusive professores que procuram colocar seus filhos em outras IES particulares. Não querem a UNIPAMPA ou qualquer outra alternativa federal ou estadual. Sabem por quê? Nessas instituições só se entra por concurso de provas e títulos. Portanto,são independentes. E por conseguinte, não precisam bajular ninguém. Muito menos aqueles que só lêem as orelhas dos livros.

NOVO REITOR?


A CELSP fez uma assembléia e escolheu o seu novo reitor. Até prova em contrário, Rubem Becker continua mandando. Sabem por quê? Por que o senhor que assume, está na ULBRA ocupando cargo de confiança do antigo reitor. É assim que são escolhidos os dirigentes da instituição. Ali não existe concurso. Basta ser amigo. Formação acadêmica? Nenhuma relevante. Busquei no Lattes, onde estão cadastrados os professores deste país, e não encontrei o nome dele. Aliás, são poucas as pessoas que ocupam cargo de direção na ULBRA que possuem bagagem acadêmica. Continuamos em perigo...

sexta-feira, 17 de abril de 2009

RENÚNCIA

O reitor da ULBRA renunciou. Mas continuará mandando, se quem indicar o próximo for a CELSP. A mantenedora da ULBRA sempre foi silente diante das atitudes do antigo mandatário. Para a ULBRA ter alguma credibilidade ´enecessário a profissionalização da gestão, com gente de fora mandando. Caso contrário, a situação complicar-se-á novamente. A Polícia Federal recebeu a ordem de lacrar as dependências da reitoria da Ulbra, no campus da Ulbra, em Canoas. A determinação partiu da Justiça Federal tem como objetivo evitar a saída de qualquer documento ou informação relativos às finanças e administração da Universidade.

SALÁRIO DOS PROFESSORES

Os professores da ULBRA ( funcionários e professores da escola estão fora ) deverão ter os vencimentos de março depositados em suas contas, graças a uma ação do SINPRO. A instituição deve ainda cerca de 40 milhões de reais somente para os professores.

terça-feira, 14 de abril de 2009

BOAS NOTÍCIAS PARA CACHOEIRA DO SUL

O deputado federal José Otávio Germano assume, hoje, em Brasília, a presidência da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Infraestrutura Nacional, durante palestra do presidente da Vale, Roger Agnelli. Nos próximos dois anos, a Frente será fórum de debates para as áreas de portos, estradas, aeroportos, saneamento, energia e habitação. Os primeiros palestrantes, anuncia José Otávio, são a ministra Dilma Roussef, os governadores José Serra, de São Paulo, e Aécio Neves, de Minas Gerais, e o deputado federal e ex-ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, além do senador Fernando Collor de Melo, presidente da Comissão de Infra-estrutura do Senado Nacional. O deputado, deve ainda, anunciar recursos para a construção de um ginásio na zona norte, bem como ações para a vinda de uma universidade federal para Cachoeira do Sul. Vamos aguardar

MARLON SANTOS

É muito grande a queixa de ex-companheiros pela decisão de Marlon Santos em migrar para o PDT. Ninguém foi consultado. Sentiram-se traídos. Levará alguns poucos e que certamente sofrerão restrições internas. Vai para um partido conflagrado por uma crise, em razão das inúmeras tentativas de expulsar o ex-vereador Luis Fernando Godoi. Não contará com Cleber Cardoso, único vereador do DEM, em sua campanha, em razão da fidelidade partidária, e hoje, fiel escudeiro e portador de sua mensagem na política. Qualquer ato nesse sentido, poderá acarretar em sua expulsão e por conseguinte, na perda do mandato. Somente o tempo dirá se o ex-prefeito tomou a decisão correta.

CONVOCAÇÃO

Transcrevo e-mail do deputado José Otávio Germano, em razão de minha coluna de segunda:
"Meu Prezado Júlio,
Parabéns pela crônica.
O tema é atualíssimo. Estou pronto para ajudar, como sempre, a comunidade Cachoeirense. Vamos a luta!
Estou convocado e pronto para mais uma batalha em favor de Cachoeira!
Um abraço,José Otávio Germano"

segunda-feira, 13 de abril de 2009

ULBRA - Notícia publicada por Políbio Braga

Os professores da Ulbra decidiram em assembleia realizada na noite desta segunda-feira no auditório Jacuí do Ritter Hotel, em Porto Alegre, pela manutenção da greve iniciadana última terça-feira. A categoria reivindica o recebimento de 3,3 salários atrasados eo afastamento da atual reitoria, responsabilizada pela crise da universidade. Os professores fizeram mais:
1) formalizaram junto ao Ministério Público Federal um pedido deintervenção na Ulbra
2) criar uma comissão de professores para elaborar uma pauta de reivindicações relativa à intervenção e acompanhar o processo de transição da Ulbra.
Um abraço simbólico ao campus da Ulbra em Canoas foi agendado para esta quarta-feira, com a participação dos alunos. Na quinta-feira haverá nova assembleia dos professores.
. A deposição do reitor da Ulbra, Ruben Eugen Becker, é apontada pelos professores como única solução para a crise da Ulbra.
. Nesta terça-feira, às 11h, será realizado Ato Público conjunto de professores,funcionários e alunos em frente à sede da Comunidade Luterana São Paulo (Celsp),mantenedora da Ulbra, com distribuição de folhetos e adesivos com o slogan adotado pelostrabalhadores: "Sou mais Ulbra - Fora Becker".

UNIPAMPA ( Coluna publicada no JP do dia 13 de abril)

Sinto-me muito à vontade em escrever sobre a possibilidade de termos uma universidade federal em Cachoeira do Sul. Primeiro porque fui um dos primeiros a defender a vinda da Uergs através das páginas do JP, em 1999. Em segundo lugar porque não sou motivado por nenhum interesse particular, pelo contrário, até em razão da minha participação junto à Faculdade América do Sul. Em terceiro lugar, na Prefeitura, movi montanhas para que o projeto da UAB, encabeçado pela Rosane Brendler, vingasse e fosse viabilizado. Por último, sou professor concursado, duas vezes, e não poderia lecionar em tão prestimosa instituição.
Não podemos esquecer que uma cidade só será grande se efetivamente tivermos educação de qualidade. Não se trata aqui de enterrar a Ulbra. Pelo contrário. A vinda de uma instituição pública com diversos cursos de graduação poderia ajudar na atração de novos alunos para cá, alavancando aquela instituição privada. Além disso, é muito melhor que atrair indústrias ou até que construir presídios, inobstante o fato de continuar defendendo a ideia. Penso 24 horas por dia em desenvolvimento e em atração de investimentos para a nossa cidade.
A Unipampa foi criada com a finalidade de propiciar ensino público e gratuito com qualidade acadêmica para a metade sul do estado. E com ensino presencial. Apenas alguns poucos relembravam nas conversas a necessidade de buscarmos esta alternativa para Cachoeira. Mas a crença no privado em detrimento do público ainda cegava muitas pessoas como se fossem opções alternativas, e não complementares. Pois bem, hoje temos campi espalhados por Itaqui, São Borja, Bagé, Uruguaiana, Livramento, Dom Pedrito, Jaguarão, Caçapava, São Gabriel e Alegrete. Por que não em Cachoeira do Sul?
Está na hora de nos mobilizarmos pela vinda da Unipampa. O Governo Federal tem chancelado todos os pedidos comunitários. Se não o fizermos, deixamos de ter um aporte muito grande de investimentos por aqui. Quero aproveitar este espaço para convocar o deputado José Otávio a participar desta empreitada. Em um momento em que está em posição de destaque na política nacional, quando assume nesta terça a presidência da Comissão Mista de Infra-estrutura, é fundamental que o mesmo se engaje nesta empreitada, que não é minha, não é de um grupo e nem será dele, mas sim de toda a sociedade cachoeirense. Escrevi e assino embaixo.

domingo, 12 de abril de 2009

O POVO QUER MUITO POUCO

Esta é uma teoria antiga e que foi muito bem adotada pelo PT em POA. O povo se contenta com pouco. Ruas limpas, praças bem cuidadas e meio-fios pintados. Embora louvável a decoração pascoalina no "cahatodô", fiquei impressionado com o grau de satisfação dos presentes. Todos sem exceção acharam maravilhosa a atitude do prefeito e sua equipe. A tese mais uma vez se comprova.

NOVA CRISE

Sete novas investigações estão em andamento na Polícia Federal (PF) em decorrência da Operação Solidária.Em uma delas, o inquérito referente às barragens dos arroios Jaquari e Taquarembó, um secretário estadual e uma ex-secretária estão sob investigação: Rogerio Ortiz Porto, da Secretaria Extraordinária de Irrigação e Usos Múltiplos da Água, e Rosi Bernardes, ex-secretária-adjunta da Secretaria de Obras Públicas. Rosi saiu da secretaria em março deste ano.Mais problemas para Yeda.

JOÃO HERRMANN

O deputado federal João Herrmann Neto (PDT-SP) morreu neste domingo, aos 63 anos. Um dos seus cinco filhos o encontrou sem vida, no início da madrugada, na piscina da Destilaria Guaricanga, em Presidente Alves, interior de São Paulo. A família passava o feriado da Páscoa na casa de campo existente no local. Suspeita-se que o parlamentar tenha batido a cabeça no chão e caído na piscina em seguida. Ele estava sozinho no momento do acidente.

CEM DIAS DE GG

Interessante o check-list do JORNAL DO POVO em sua ediçào de final de semana sobre o atual prefeito. Percebe-se, mais uma vez, que a linha editorial do blog estava correta. Muito barulho e pouca ação. Corre o risco de ser lembrado como o prefeito do carnaval. Mas tem muito tempo ainda. Deve aproveitar a blindagem para corrigir os rumos. Vamos torcer, ou rezar...

ÉTICA NA POLÍTICA


Essa eu retirei do BLOG DO GALHARDO.

FILANTROPIA

Vai longe essa novela da MP das Filantrópicas. A juíza Isa Tânia Cantão, da 13ª Vara Federal, em Brasília, suspendeu a anistia de mais de sete mil entidades filantrópicas. Todas as beneficiadas com a medida, que estão sob investigação ou aguardavam renovação dos certificados, terão o valor das isenções conseguidas inscritas na dívida do INSS pela Receita Federal. A juíza não poupou críticas à MP. Entre outras afirmações duras, disse que a MP era como passar um cheque em branco para as instituições com problemas. Problemas a mais para a ULBRA.

ESTADO BRASILEIRO

Maurício Dias na Carta Capital, escreveu um interessante artigo, intitulado A DESCONSTRUÇÀO DE UMA MENTIRA. Utilizando um estudo do IPEA demonstrou que o Brasil está muito longe dos EUA,CANADÁ, FRANÇA,INGLATERRA dentre outros. O percentual de srvidores não chega a 6% da população total. Vale a pena conferir. Acesse http://www.cartacapital.com.br/app/coluna.jsp?a=2&a2=5&i=3866.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

CRISE NA ULBRA

Até o momento não presenciei nenhuma ação do Ministério Público sobre a crise na instituição. Onde estão o MPE, o MPF e o MPT? Por aqui, em Cachoeira do Sul, o clima é de desolação por parte dos pais, que pagam caro para seus filhos estudarem. Mas uma coisa é muito louvável: todos, sem exceção, com quem conversei foram a favor da greve.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

CELSO ROTH


Vou abrir uma exceção e escrever sobre futebol. Roth ou é azarado ou incompetente. Não sei avaliar. Mas estas duas situações inviabilizam que ele seja treinador de meu time. Sua queda era a crônica da morte anunciada. André Krieger não falava com ele. Escalou mal contra o Caxias. A direção ofereceu um bicho para os jogadores e ele não sabia. Perdeu o Gre-Nal e portanto, não restava outra alternativa que não fosse a sua demissão. Mas foi Koff quem interviu cirurgicamente, para que no domingo mesmo Celso estivesse fora.Renato deve ser anunciado como o novo técnico. A primeira opção era Geninho. A segunda Caio Jr. A terceira, pasmem, Nelsinho Batista. Já me dou por satisfeito se não cairmos para a segunda divisão. Começou mal o ano para nós gremistas.

GREVE NA ULBRA

Os servidores da ULBRA em Canoas, optaram pela greve, em razão dos constantes atrasos salariais. Já os professores, que estão com quatro folhas para trás, até o momento, ainda não decidiram o que fazer. Mas o blog dá uma dica: quase 90% dos professores da ULBRA possuem outros rendimentos, portanto, ali fazem um "bico", até em razão da carga horária que cada um dispõe e, por conseguinte, continuarão trabalhando sem receber. Bom para os alunos e melhor ainda para a reitoria. Serão penalizados aqueles que realmente dali vivem. Uma pena.

JOÃO ORLANDO SANTOS

Soa como perseguição política a tentativa de abertura de sindicância, para apurar a contratação, pelo município, do João Orlando Santos. O GG tem que parar de dar ouvidos aos "mandinhos" que o cercam. Política não se faz com sangue no fígado. Primeiro tentaram calar o Minssen e este editor. Agora, querem impor censura ao Forum do Leitor. Menos GG. O João trabalhou e muito pelo município.

domingo, 5 de abril de 2009

EXPOCABRAIS

Prefeito Sérgio da Rosa está exultante com o sucesso de sua EXPOCABRAIS. O público superou as mais otimistas das expectativas. Inúmeras autoridades muncipais, estaduais e federais se fizeram presentes.

sábado, 4 de abril de 2009

PMDB

Talvez tenha sido um erro, por parte do PMDB, iniciar a discussão interna em relação a 2010. Padilha, homem forte do partido, tem dito para quem quiser ouvir que não é tranquila a indicação de Fogaça. Para ele o candidato deve ser Rigotto. Por que? Para lhe sobrar uma vaga para o Senado. Até porque já franqueou a Alceu Moreira as suas bases eleitorais. Insinua, também, que é fruto do fogo amigo, os vazamentos em relação a operação solidária. Outra situação importante é que Fogaça deverá renunciar a Prefeitura para concorrer. E se perder? Terá de volta o emprego na RBS? Parece que o bicho vai pegar.

LULA

Gostemos ou não dele, Lula está se tornando um popstar internacional. E são dois os principais motivos. Primeiro é a sua comparação com FHC, um intelectual renomado mundialmente, mas dono de uma antipatia fantástica entre os líderes internacionais por sua empáfia. Neste contexto, a simplicidade de Lula salta aos olhos, até porque os demais políticos munidiais, não são necessariamente doutores. A segunda e mais forte razão é a comparação com o fanfarrão do Chavez. Um lunático, com tendências ditatoriais. Para o capitalismo mundial, Lula representa a segurança.

FOFOQUINHA

Na última reunião de Diretores na 24ª Coordenadoria de Educação membro do alto escalão da educação estadual dormiu a reunião toda. Talvez sofra da síndrome de Simon, um eterno dorminhoco em palestras e sessões meramente formais. No caso da colega professora, algumas pessoas presentes não perdoaram.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

DESVIOS DE FUNÇÃO

Fonte me revelou alguns desvios de funções: Marcelo Stefani que está lotado na Secretaria de Obras e desempenha atividades na jurídica; Professora Yvouni que desempenha funções no gabinete, estaria lotada na saúde, dentre outros. Por isso, é importante que o secretário da administração revele a lotação.

CARGOS EM COMISSÃO

Enfim a lista. Com isso GG encerra uma polêmica desnecessária. Não entendi a posição do Secretário Ortiz, contrária a divulgação das lotações dos servidores. Transparência sempre é bem vinda. O que se vê, no entanto, é que o PT tem 13 filiados na lista, mas um números muito significativo de simpatizantes, reforçando aquilo que já tinha escrito aqui no blog. Mas do ato, em si, resta-nos parabenizar o GG pela iniciativa.

CORSAN

Não sei se GG recebeu por escrito quais as condições do fundo de gestão compartilhada, proposta pela companhia, na negociação envolvendo o serviço de concessão de água. O que se sabe é que grande parte do valor do fundo é em razão do faturamento em cima das ligações de esgoto. Além disso, necessário verificar a forma de contratação e, principalmente, de composição dos membros que irão gerir o fundo. Por cautela, no entanto, seria muito interessante que a PGM consultasse o MP, acerca da necessidade ou não de nova licitação.