jmahfus@hotmail.com

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A doação do patronato para a UERGS

Em época de campanha eleitoral, podem aparecer pessoas que queiram dar a entender que foram idéia delas  a instalação do curso de Agronomia e a doação da área do patronato pela Prefeitura.

O curso de Agronomia vem sendo gestado na unidade de Cachoeira do Sul, há muitos anos e têm como principais responsáveis pela sua construção os professores Dr.  Benjamin Dias Osório e Dra. Gisele Guimarães.

Quando fui Pró-Reitor de Administração da UERGS e depois ocupei interinamente o cargo de Reitor, tratei com o prefeito Sérgio Ghignatti e com o Secretário Ronaldo Tonet, a doação da área pelo município para a UERGS e que teve a intermediação do então Presidente da Câmara Oscar Sartório.

Temos feito isso desde então. De um lado os professores costurando internamente a construção de um projeto pedagógico pelo curso. E de outro lado, um trabalho político em que todos nós professores estamos envolvidos, mas que pela simples razão de morar por aqui, acabo de certa forma atuando mais fortemente nessa construção. Mas que é importante ressaltar, que é coletiva.

Na sexta-feira passada o prefeito encaminhou o projeto para a Câmara de Vereadores. Fui convidado, incessantemente, a depor no horário político, sobre esse trabalho. Alertei que o mesmo era de cunho comunitário, e não político e, portanto, de minha parte, não admitiria qualquer exploração política sobre o fato.

E espero que ninguém se arvore a adonar-se, politicamente, de algo que é fruto do coletivo.

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Imprensa e eleições
Em todo pleito eleitoral se ouve a mesma coisa: a imprensa tem candidatos. Olha, acho que uma das maiores hipocrisias que vivenciamos no rádio, nos jornais e na TV, é a tão propalada neutralidade. Isso não existe. Podem ser imparciais. Nada mais. Possuem preferências sim. Aliás, sequer conseguem esconder de quem nela vivencia. Por isso, sempre defendi a tese que os jornais, por serem privados, assumissem publicamente sua preferência ideológica. Eu como colunista, sempre assumi. Fiz assim em 2010 quando abri voto para a Dilma. E hoje, todos sabem em quem voto. É de melhor tom. É mais civilizado, do que agredir aqueles que não gostamos, em nome da ética e para beneficiar os de nossas preferências. Outra coisa que não dá para agüentar é a cantilena dos candidatos, reclamando de espaço. Ou das pesquisas publicadas. Ora, pesquisas patrocinadas por jornais ou TVs, precisam ser friamente analisadas. Ouvir menos de meio por cento do eleitorado implica em margem de erro altíssima e grau de confiabilidade, de menos de oitenta por cento. Portanto, é quase uma enquete. Mas são legais, pois são registradas e passam pelo crivo da justiça eleitoral. O certo é que a imprensa em geral há muito tempo não ganha nenhuma eleição. Ou melhor: sempre que apoiaram alguém, acabaram derrotando o seu preferido. O resto é choro de quem não têm competência para concorrer.

Progressistas
Nessa eleição, se observa claramente que existem candidatos que sequer trabalham o nome da majoritária. Porque eu não sei. Mas por certo pensam que ninguém vê.

GG
O maior legado pessoal do prefeito, é o apoio que concedeu durante todo o seu mandato, a educação superior. E isso ninguém pode negar.

UERGS
Desde 2010 estamos envolvido com a cedência  da área do patronato. GG cumpriu o que prometeu, e mandou para a Câmara o projeto de doação. Com isso, a reitoria pode começar a providenciar o vestibular de Agronomia. E a minha missão na Universidade, já começa a se dar por encerrada.
Debates
Os dois candidatos do governo, precisam se preparar com mais afinco para os debates. Novamente, saíram prejudicados, por não serem convictos na defesa do governo deles. Existem coisas boas para serem demonstradas e os dois, são competentes o suficiente para se saírem melhores.

Trojhan e Godoi
A organização da campanha dos dois repercute nas pesquisas eleitorais. Nesse ponto, o vice, homem experiente em campanhas, ajuda muito à dupla. E o candidato a prefeito, pode se preocupar apenas em pedir votos. 

Celso
A morte do Celso Germanos chocou a cidade e todos os seus amigos. Fica aqui meu abraço para a mãe, irmãos, primos e demais familiares. E que o sofrimento que passam, seja respeitado por todos nós.

Prefeituráveis
Falam de Saúde, estradas do interior, geração de emprego, asfaltamento dos bairros. Tudo certo. Precisamos disso. Mas e as crianças de nossa cidade, quem cuidará delas? Ou está bom assim?

Miséria
Temos em nossa cidade quase dez mil pessoas vivendo em extrema pobreza. É um dado estarrecedor. Mas enquanto o centro da cidade for à caixa de ressonância das ações do executivo, a situação tende a piorar. Uma tristeza.

A volta do Blog




Deixei de escrever por aqui, pois tenho o projeto de transformar o blog em um site. Mas como precisamos reformatar a idéia, volto a postar por aqui. Obrigado pelos diversos e-mail que solicitaram a retomada do espaço.