jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Coluna de Segunda no Jornal do Povo


Cachoeira Paz e Amor
Gostaria muito, mas muito mesmo, que pudéssemos viver um momento de união por lutas importantes que já surgiram e poderão ainda surgir em nossa cidade. Esforços gastos em situações desconfortantes, em nada contribuem para o processo de desenvolvimento de uma cidade, pois de um embate de idéias, o vencedor precisa sempre ser o coletivo e não o individual. Por isso, muitas atuações que são ditas comunitárias, são apenas nos propósitos gerais, mas tem dono e tem marca. E com isso não agrega. Ao contrário. Desagrega e gera desconfiança, em relação à falta de transparência ou a natureza das informações prestadas, que são muitas vezes dirigidas a um conjunto da população que não possui o real discernimento da situação em si. Mas tudo isso é fácil de mudar. Bastaria que as lideranças falassem em nome de todos, e não em seu nome em especial e com isso, o pessimismo alardeado, transformar-se-ia em otimismo e principalmente, em comunhão de forças. Uma cidade que possui um deputado federal, um deputado estadual, um ministro e talvez daqui uns dias mais outro ministro, precisa aprender a criar oportunidades. E não simplesmente, estourar pontes, para que as suas convicções sejam as vencedoras, em detrimento da cidade em si.

UFSM
Não existe pessimismo como vejo apregoarem. O que existiu foi um ufanismo exagerado, no início do projeto, aonde os líderes chegaram a marcar datas de vestibular. Quem acompanha a coluna e meu blog, tem a exata noção da complexidade do projeto que ainda é um projeto e só deixará de ser a partir o momento que ressurgir o REUNI.

Referendo
Se a Câmara arquivar o projeto ou resolver aguardar a volta do recesso, o que pode fazer o Ministério Público? E GG, comprará essa briga?

Uma nova cidade
Quem realmente circula por toda a cidade, percebe claramente a ascensão de camadas antigamente pobres, para uma nova condição social. Essa nova classe, fruto da estabilidade econômica, não gosta de política, e muito menos da nossa elite.

Pólo educacional
UAB, ULBRA, UERGS e daqui a alguns anos a UFSM, transformam a nossa cidade em um pólo educacional. Por isso percebemos essa agitação, tão própria dos jovens e dos intelectuais. Sim, efetivamente temos intelectuais independentes em nossa cidade e que nem sempre pensam como querem que pensem. E isso é ótimo!

Carnaval
O que mudou? Ora, desde 2008 nunca mais houve interrupção. Com isso as escolas se preparam e conseguem envolver as suas comunidades. O resultado é uma festa mais bonita que a outra. Méritos para o GG e sua equipe, que comprou a idéia e bancou.

Eleições 2012
As esquerdas já chegaram a um consenso: unidas, ganham a eleição. E os pré-candidatos, já demonstram sensibilidade a isso.

Transporte Coletivo
Volto a insistir. O executivo tem um papel primordial em uma política de transporte público. Quanto menos gente utiliza, maior a chance de a tarifa subir. Independentemente da empresa concessionária. Além do que, licitação não significa necessariamente menor preço. Portanto, esse não é o foco. O resto é embate partidário.

Greve da Polícia
Vingar-se das greves legítimas, utilizando-se as PMS é um retrocesso. A PEC 300 é um sonho, que nem Dilma e nem Aécio, por exemplo, poderiam cumprir em curto prazo. Mas quem sabe, se diminuirmos os benefícios tributários e cortarmos alguns privilégios, quem sabe?

Tribunal de Justiça
Terminada a confusão e empossado o novo presidente do TJRS ele sai com a seguinte pérola: “Férias de sessenta dias é uma necessidade, porque trabalhamos 24 horas por utilizando o raciocínio”. E por que então “vendem” as suas férias? Ora, e um médico cirurgião ou Psiquiatra, ou um Advogado, não usam o raciocínio? Fim do privilégio, já!

Semana da Mulher
Tomara que a Câmara de Vereadores seja sensível e comemore exatamente no dia 08 de Março esse importante dia para todas as mulheres desse país. Será mais uma homenagem!

Nenhum comentário: