jmahfus@hotmail.com

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Amanhã no cinezine: Até Oxalá vai a guerra!

As ações violentas executadas pela Prefeitura de Salvador através da demolição do Terreiro Oyá Onipo Neto conduzido por Mãe Rosa da Avenida Jorge Amado, surpreenderam negativamente por configurar um ato de intolerância Religiosa.

Salvador, a capital da Bahia é uma das cidades que tem o maior número de templos religiosos de todo o mundo, incluindo igrejas católicas e evangélicas, centros espíritas, casas de umbanda e terreiros de candomblé. É também a cidade que possui a maioria dos seus habitantes negros, mas onde o racismo em sua diversidade e sutileza acaba tendo ações devastadoras. Da educação e moradia, até o emprego e religiosidade sem esquecer o genocídio da população negra. O estado tem uma função fundamental na manutenção de tudo isto.

Se o Brasil é o país mais aberto do mundo a todas as religiões e crenças, Salvador é a expressão máxima desta qualidade principalmente pela forte influência e presença das tradições oriundas da África. Nada justifica nos dias atuais ações como esta que causaram danos muito sérios a toda uma construção espiritual de muitos anos e que tiveram então a resposta enérgica e necessária do povo de candomblé. Oxalá vai a Guerra, e todo o Povo de Axé também, sempre que for necessário!

Direção de Carlos Pronzato e Stefano Barbi-Cinti, 2008, 40 min.

ONDE

Até Oxalá vai a Guerra
13 de Fevereiro de 2012, 20h
Centro de Inovação Social (Casa Pirata)
Rua Quinze de Novembro, 931.
Cachoeira do Sul
Evento livre e libertário (gratuito)

Nenhum comentário: