jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Coluna no Jornal do Povo

Por que andam tão quietos nossos jovens?
Noto que alguns coroas, e eu sou um coroa, implicam com os jovens. Cobram deles um papel mais incisivo na sociedade. Chamam eles de acomodados. Discordo um pouco disso. A minha geração e a anterior tinham um inimigo: a ditadura. Por isso fomos barulhentos, rebeldes e até, em alguns momentos, revolucionários. Hoje, isso não é mais preciso. Vivemos dentro de um sistema liberal, que até podemos não concordar, mas que permite a liberdade de expressão e, principalmente, a liberdade em sentido absoluto. Portanto, revoltar-se com o quê? Qual a alternativa que lhes é oferecida? Nesse sentido, a passividade é explicada. Os inimigos hoje não têm um rosto ou uma língua. Talvez ele seja muito mais subjetivo do que possamos imaginar. Acho que, quando chamada, e se precisar que isso aconteça, não irá faltar ao apelo. Mas não cobrem uma participação para lutar contra aquilo que nós todos ajudamos a construir e que eles fazem parte. Isso é transferir a culpa para quem nada tem a ver com isso. A política hoje está dominada por nossos amigos e companheiros. PSDB e PT, os partidos hegemônicos, lutaram contra a ditadura. Em seu âmago, a democracia burguesa é a sua representação política. E as instâncias políticas, na qual parcela da juventude hoje milita, é parte desse processo. Portanto, nada em contrário posso esperar e sequer posso exigir. É a passividade de quem está ou ajudou grupos a estarem no poder. Isso explica muito.

Para abrir 2012
Discurso velho. Não sou candidato a nada. Já estou focado em minhas missões por aqui: depois da Administração na Uergs, Agronomia; ajudar no que puder com a UFSM; e fazer com que o meio ambiente (água e bicicletas) seja pauta das eleições em outubro.

Michel Telló
Nunca o ouvi. Como nunca ouvi a tal Paula Fernandes e nunca li Paulo Coelho. Não fazem meu gosto musical e nem literário. Mas daí a imputar-lhes impropérios é outra coisa. Vou sempre defender a liberdade de expressão. Inclusive daqueles que eu possa considerar ruins.

Candidatos
Claro que o discurso da segurança é muito sedutor. Talvez por isso o meu amigo João Goulart tenha dado tanta ênfase. Mas ele e nós sabemos que isso não compete e muito menos pode ser atribuição do Município. Insistir com isso é crer que a população que votou em um médico pensando em acabar com a fila do SUS irá votar em alguém que prometa acabar com a violência, pura e simplesmente. Precisamos mais!

Vestibular da Uergs
Com inscrições abertas, essa é uma grande oportunidade para o acesso a ensino gratuito e de muita qualidade em nossa cidade. E com uma novidade: teremos vestibular em 2012 para Administração, além dos cursos tecnológicos. Inscrições encerram-se dia 16 de janeiro.

Bicicletas
Como é bom ver, a cada dia, mais pessoas aderindo ao ciclismo, não só como esporte, mas também como meio de transporte. Nossa cidade presta-se a isso. E vejo que os motoristas, a cada dia, compreendem cada vez mais que uma bicicleta na rua significa ambiente mais saudável e um trânsito mais tranquilo. Ganhamos todos.

Sem grito
Não conheço e nem me interesso pelo processo que o vereador Acélio responde. Mas se está efetivamente condenado em segunda instância e se estiver desprotegido de uma medida suspensiva, o PT, sim, tem o direito de requerer a sua vaga. Ou então, o próprio MP o fará.

Preste atenção
Em uma eleição, hoje, o dinheiro já deixou de ser um fato preponderante para a vitória. Ajuda, só isso. Assim como o tempo de TV. O que importa é a capacidade de agregar segmentos, sem excluir. Por isso, hoje, mais do que a intenção de voto, olhe para a rejeição. Quanto maior a rejeição, maior terá que ser o número de candidatos para aquele que possui rejeição poder vencer. É matemática. Pura e simples.

GG
O índice de popularidade de GG cresceu porque a Saúde é de longe a secretaria que tem mais coisas a mostrar. E a população, embora ainda queixosa, hoje reconhece em Eunice uma pessoa disposta a ouvir e melhorar dia a dia o seu trabalho. Para desespero de muitos.

Neiron
Quando Neiron Viegas assumiu a Agricultura, disse aqui nesse espaço que GG estava enterrando a candidatura do secretário. Errei por pouco. Mas se Neiron, com toda a sua capacidade de trabalho já demonstrada tanto anteriormente como na Agricultura, ainda permanecesse na Stas, roubaria o pleito.

Um comentário:

Anônimo disse...

Os vereadores tem que abrir uma CPI para investigar o aumento abusivo do IPTU e seus erros, isso é irregular, é ilegal e é improbidade administrativa pois a secretaria da fazenda esta cobrando tipologias que foram arquivadas pela camara de vereadores e mesmo assim a prefeitura esta cobrando pois atualizou seu sistema para a nova planta generica e como foi arquivado continuaram com o sistema prejudicando a população que não tem condições de pagar esse imposto. Isso cassa o mandato do prefeito e já era seu sonho de terminar o mandato. Tem que denunciar no MP.