jmahfus@hotmail.com

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

A crise do Judiciário

Quem foi meu aluno ou, hoje ainda é e quem acompanha o blog e as minhas colunas sabe exatamente do que falo. O Judiciário brasileiro há muito sofre de uma crise, que não tem sido exposta pela grande imprensa, porque talvez interesses outros impeçam a divulgação.

Mas aos poucos as coisas começam a acontecer. Nessa semana tivemos a liminar do ministro Marco Aurélio, praticamente sepultando o Conselho Nacional Justiça, porque aquele órgão fiscalizador, resolveu fiscalizar.E isso no Brasil é pecado.

Na quarta-feira, o presidente do STF, Cezar Peluso, saiu em defesa do ministro Ricardo Lewandowski, que durante a semana paralisou inspeções do CNJ sobre pagamentos milionários feitos por tribunais estaduais a magistrados.

Já três ministros do Supremo, que aceitaram falar desde que não fossem identificados, disseram que Lewandowski deveria ter evitado se pronunciar sobre o assunto, por causa do seu envolvimento pessoal com a questão.

Lewandowski e o próprio Peluso estão entre os beneficiários de pagamentos que chamaram a atenção do CNJ. Os dois ministros eram desembargadores antes de irem para o STF.

A ação que quer impedir o CNJ de fiscalizar foi proposta pelas três das principais associações de juízes.

Ontem, essas entidades afirmaram que vão pedir à Procuradoria-Geral da República que investigue possível crime de quebra de sigilo de dados cometido pela corregedora do CNJ, Eliana Calmon.

É o começo do fim dos tempos de império que cercam um poder autoritário e anti-democrático.

2 comentários:

@tiagomx disse...

parabéns júlio! seu exercício de observação é bem acertivo! continue distribuindo informações e visões de mundo. obrigado.

JULIO CESAR MAHFUS disse...

Obrigado. Generosidade do amigo!