jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 30 de maio de 2011

COLUNA DE SEGUNDA NO JORNAL DO POVO

Escrevi e assino embaixo
GG perdeu a mão em seu governo. Aliás, politicamente, sempre foi titubeante. Nunca soube exatamente o que queria. Começou errado, quando namorou o PP e não casou. Com isso, manteve e mantém ao seu lado um PT desconfiado. Continua com vários CCs e FGs nas mãos de opositores e infiéis. Com isso, desagrada a sua própria base. Desarticulado e sozinho, por opção própria, toma decisões erráticas e complica a cada dia mais ainda o seu governo. Sequer é capaz de apontar ou construir um sucessor. E olha que em seu secretariado poderíamos citar dois ou três nomes que poderiam, sim, representar o governo. Mas não consegue fazer isso. Está pautado pela imprensa. É ela quem diz o que está errado ou quem diz o que ele deve fazer. Não é assim que se governa. Repensar o governo para terminá-lo com dignidade é uma tarefa urgente, mas para isso deve assumir que é candidato à reeleição ou apontar quem será o seu candidato, senão o café esfriará muito antes do previsto...

Dilma e Lula
Não sei, mas, pelo o que acompanhei da movimentação política nessa semana, Dilma parece muito contente com a possibilidade de se livrar de Palocci. Nome esse que lhe foi empurrado goela abaixo por Lula, que continua achando que só com ele ela será capaz de governar o país.

Haddad
Para nós, cachoeirenses, é bom que fique. Ao menos já sabe da existência do Vem, UFSM. Mas sua posição é cada vez mais insustentável. O chamado “kit guei”, que deveria ser distribuído às escolas e que custou alguns milhões, foi para a lata do lixo. Somando-se a isso, os fracassos do Enem e a não-simpatia de Dilma por ele. Acho que não vai longe.

Uergs
Professores e alunos se movimentam, novamente, contra o governo. Acho que ainda é cedo. Precisamos dar um voto de confiança ao reitor e ao governador. Ambos são sérios e comprometidos com o fortalecimento da universidade. Vestibular no meio do ano, sim, é essencial.

Saúde
Secretária Eunice, que realiza um ótimo trabalho na pasta, precisa ficar mais atenta. Comprar briga gratuita com as casas de saúde não interessa nem a ela, nem ao governo. A fiscalização é o seu dever. Mas, ao que parece, está sendo instigada a proceder de outra forma. Cuidado com conselhos, poucos sábios.

Meio ambiente
Escrevi aqui que GG tinha que assumir com plenitude a criação da secretaria. Ficou no meio grávida. Criou e não deu estrutura. Fechar é a capitulação. Mantê-la aberta dessa forma e sem política de médio prazo é um suicídio.

Esquerda
Mesmo sem vida partidária, por aqui costumo conversar sobre política com meus amigos, até trazendo as notícias dos bastidores da capital. As análises feitas por lá dão conta de que, até agora, todos os nomes lançados e ventilados, com exceção dos petistas, representam a continuação de uma política de estagnação no município. A preocupação é grande, pois nossa cidade precisa de um salto de qualidade e o horizonte parece ser cada vez mais sombrio.

Neiron Viegas
Único nome até agora lançado e que representa a autêntica esquerda do município, corre o risco do isolamento. Previsto aqui. Sofreria com a rejeição e com o discurso do medo, que já começa a tomar conta das conversas nos bairros e no Centro. Precisa urgentemente começar a circular mais.

Quem duvida...
Pelo o que acompanho na imprensa e nas rádios, o PP brigou de vez com GG. Fará exatamente o que fez com o governo anterior. Não duvidem, sequer, da criação de uma CPI. E uma coisa já é dita à boca pequena: sem candidato viável, tentarão convencer Marlon Santos a concorrer, porque entendem que não podem mais ficar tanto tempo longe do poder local.

Poder não-estatal
Tenho insistido com a tese de que os partidos perderam o foco com a sociedade e que hoje as mobilizações ocorrem independentemente deles. A questão da água, há tanto tempo debatida pelo Sanmartin, agora ganha o reforço dos clubes de serviços. A mesma coisa acontece com o Vem, UFSM. Ou seja, cada vez mais nos damos conta de que cada vez mais são menos os políticos com os quais podemos contar.

Um comentário:

ze disse...

Falando em meio ambiente que triste aquele casal assassinado que de fendia a floresta no Pará ,Brasil é uma terra sem lei mesmo.