jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 23 de março de 2009

MUDAR PARA MELHOR ( Coluna publicada no Jornal do Povo)

Esses dias recebi um e-mail de um leitor relembrando-me que havia sido um dos primeiros colunistas a defender o fim do Senado. Essa falsa popularidade se dá em razão dos milhares de acessos pela internet do JP, do meu blog (www.juliomahfus.blogspot. com) e dos artigos que são publicados nos mais diferentes sites. Conto isso em razão das recentes notícias a respeito daquela casa, que pelo visto tornou-se a “casa da mãe Joana”.

Vejam que tínhamos 180 diretores, mais de 8 mil funcionários entre concursados e não-concursados, dentre outros absurdos, gerando um gasto de mais de 5 milhões de reais por dia. Sabem quantos projetos de iniciativa do Senado foram aprovados? Apenas seis. Quem ouviu a patética entrevista do Simon dizendo que achava um absurdo tudo isso, mas que não sabia que seus assessores faziam horas extras em período de recesso, revela o estágio atual de comiseração daquela instituição. Precisamos controlar? É claro que sim, mas continuo dizendo que o Senado pode, sim, acabar que não sentiremos, juridicamente, a sua falta.

As câmaras de vereadores Brasil afora também são outro absurdo. E aqui quero fazer uma ressalva, dizendo que a nossa (Cachoeira do Sul), mesmo com todos os seus pesares, acaba se tornando um exemplo em matéria de austeridade financeira diante das demais. Mas voltando ao tema: está mais do que na hora de terminarmos com o pagamento de subsídios aos vereadores. Sabem por quê? Para terminar com a “profissão”. Exatamente. Para se elegerem são obrigados a tornarem-se demagogos durante o mandato.

Chegamos ao absurdo, como no ano passado por aqui, de cassarem o vereador Braga ou de fazer uma CPI eleitoreira, ou como na segunda - feira passada, quando passaram a noite inteira discutindo decisão judicial, na qual o poder legislativo não pode interferir. Qual o prêmio para a demagogia? A reeleição e em alguns casos, a ocupação do cargo de vice-prefeito.

O cargo de vereador deve ser uma honraria. Ele é fundamental. Não podemos deixá-lo se transformar em um Senado. Por isso deve ser voluntário. Dessa forma diminuiremos consideravelmente o número de servidores, concursados ou não, e certamente teremos lá um maior número de pessoas descomprometidas da política partidária. Querem ver uma coisa? O Prefeito de Cachoeira do Sul disse em alto e bom som que manterá em segredo a lista de CCs, desrespeitando a CF. Algum deles fez algum pedido de informações? Se não houve a resposta em 15 dias, acionou o MP? Claro que não, porque certamente deve ter alguém na lista. Precisamos mudar.

Nenhum comentário: