jmahfus@hotmail.com

quinta-feira, 26 de março de 2009

BARRIONUEVO

Não quero mais saber de ser jornalista! As condenações judiciais impedem que haja liberdade de imprensa no Rio Grande do Sul”, disse José Barrionuevo. Em maio de 2007, uma sentença favorável à Sociedade de Advogados Trabalhistas Marcos Juliano Borges de Azevedo condenou, além de Barrionuevo, também o jornal Zero Hora e a Rádio Gaúcha ao pagamento de R$ 150 mil por danos morais. Durante 20 anos, este escritório do advogado Marcos Juliano ganhou causas multi-milionárias da CEEE (Companhia Estadual de Energia Elétrica) em favor de funcionários. Segundo a sentença, as matérias jornalísticas e os comentários radiofônicos de José Barrionuevo, publicados em Zero Hora e transmitidos pela Rádio Gaúcha a partir de agosto de 2003, "atribuíam a vitória dos reclamantes, nas ações trabalhistas, a conchavos e conluios". Segundo o advogado do jornalista, Marco Túlio de Rose, na última quinta-feira, dia 19, pelo voto médio, o valor da causa foi reduzido em dois terços. Marco Túlio de Rose disse: “Barrionuevo teve um voto vencido a seu favor. Na sentença, ninguém questionou a veracidade dos fatos, mas, sim, uma adjetivação eventualmente excessiva. Vamos entrar com um recurso especial baseados nesse voto vencido”, afirmou o advogado, que já defendeu o jornalista em cerca de 80 processos. No Rio Grande do Sul a grande moda é processar jornalistas pelas verdades que mostram, tentando silenciá-los pelo medo a sentenças indenizatórias.

Nenhum comentário: