jmahfus@hotmail.com

sábado, 18 de setembro de 2010

O PT BURGUÊS

Chella Safra, mulher do banqueiro Moise Safra, surpreendeu na noite de anteontem ao comparecer a um jantar de apoio a Marta Suplicy (PT-SP), que concorre ao Senado.

Ela não apenas prestigiou a candidata - mas declarou que vota em Dilma Rousseff (PT) para presidente. "Mulher vota em mulher", disse. Chella até gravou depoimento para o site de Marta.

Se no passado o PT liderou greves históricas de bancários contra banqueiros, no presente o partido de Lula tem a adesão explícita dos outrora combatidos patrões.

Além de Moise e Chella, o casal Vicky e Joseph Safra (irmão de Moise e também dono do banco Safra) circulou com desenvoltura pelos salões da casa da psicanalista Eleonora Rosset. Ela e o marido, o empresário Ivo Rosset, da Valisere, eram os anfitriões do encontro no Jardim Europa.

Estavam lá também Olavo Setúbal Jr., do grupo Itaú, Ricardo Steinbruch, do grupo Vicunha, Flávio Rocha, presidente da Riachuelo, e Jack Terpins, das Lojas Marisa, entre outros.

"Esses apoiadores aqui eu nunca tive antes. [Os Safra] nunca foram em nada meu", dizia Marta Suplicy.

A candidata paulista ao Senado contava a convidados que todos os garçons com quem havia conversado na festa declaravam votar nela. E fez o teste para a coluna. "O senhor é PT?", perguntou a um garçom.

O silêncio, seguido de uma careta, valeu por mil palavras. "Então deixa eu te pedir um voto de confiança." "A senhora é candidata a quê?"

A filósofa Marilena Chaui, petista histórica, deu o toque intelectual à noite. Mas entrou muda e saiu quase calada. "Eu não falo com a mídia."

Um comentário:

Anônimo disse...

Com diria o poeta: "a burguesia fede". A petista mais ainda.