jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 19 de julho de 2010

COLUNA DE HOJE NO JORNAL DO POVO

ESCREVI E ASSINO EMBAIXO

As eleições na Uergs foram extremamente importantes não só para elegermos nosso novo reitor, mas, em especial, para aprofundar discussões. Por exemplo, só agora divulga-se que a atual reitoria pagou R$ 14 milhões em dívidas e, por isso, teve que investir menos que o esperado, e entregará a universidade sem nenhuma conta a ser paga. A contratação de professores temporários, que tantas vezes defendi com outras pessoas e sofri críticas de meus colegas, hoje voltou à pauta e é quase consenso. Assim como a necessidade de vestibulares em cursos mais atraentes e no período noturno. O professor Guaragna tem tudo para ser um grande reitor, ainda mais se conseguir implementar seu discurso de pacificação e de continuidade nas políticas que deram certo. Torceremos por isso, pois todos queremos uma universidade forte e de excelência.

Saúde

Ninguém discute os méritos de Tadeu enquanto médico e dirigente da Unimed. No entanto, na Secretaria da Saúde foi engolido pela máquina pública e pela sua inexperiência no setor. Não implementou o Caps, não acabou com as filas, não aumentou o números de médicos, os medicamentos continuaram faltando e o índice de mortalidade infantil mantém-se alto. Portanto, segue o caos.


O risco Sartório

Parece que o namoro entre GG e o vereador está no fim. Seu apetite por ocupar espaços e o veto do núcleo duro do governo em tê-lo como secretário da Saúde afasta-o cada vez mais do Paço. Além disso, seu discurso se encaixa melhor na oposição e, portanto, para quem quer ser candidato fica mais convincente. E ainda teria um complicador: se Oscar assumisse uma secretaria, o DEM ficaria com dois vereadores, necessitando-se, com isso, uma nova tentativa de composição.

Desarticulação

Quando GG optou por manter Tonet apenas no Desenvolvimento, ficou sem um “pensador” no Paço. Nesse momento ele precisa se rearticular para poder compor melhor sua base política e penetração junto à sociedade. Ainda acho que deve pensar melhor sua composição de secretariado.

Se eu fosse GG...

Aproveitaria o que ainda me resta de popularidade e começaria a me mexer. Procuraria os presidentes dos partidos, em especial PR, DEM, PSDB e PP, e tentaria fazer um grande projeto de consertação em nosso município. Comporia um secretariado de “notáveis”, respaldados partidariamente e com uma agenda de realizações. Vocês acham que alguém se furtaria de colaborar com seu município desde que a “politicagem” fosse posta de lado?

...E terminando 2010 vem 2012

Pois é. Aqui em POA se discute muito Cachoeira do Sul e percebe-se uma grande preocupação das lideranças regionais pela completa ausência de novos líderes políticos em nossa cidade. Se a derrota nas urnas em 2010 atingir os nossos candidatos a deputados estaduais, a próxima eleição estará zerada. E volto a dizer: estamos cansados de políticos amadores.


No estado

Contando com a colaboração de Francisco Ferraz, ex-reitor da Ufrgs, Yeda partiu para uma estratégia audaz, que é polarizar a eleição com Tarso. Aproveita-se da lentidão de Fogaça, ataca como ninguém o governo federal e a política petista. Com isso pretende chegar ao mês de agosto colada no segundo lugar e aproveitar o tempo de TV para avançar nas pesquisas. Certo dizer que no interior sua candidatura vai muito bem.

O besteirol das palmadas

Em um ato simbólico, comemorativo ao discutível Estatuto da Criança e do Adolescente, Lula encaminhou a chamada Lei das Palmadas. Outra idiotice jurídica. Pergunto: quem e como será fiscalizada a sua aplicação? Pior é que encontro colegas defendendo esses absurdos.

Nenhum comentário: