jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

COLUNA DE SEGUNDA NO JORNAL DO POVO

Por que mesmo precisamos dos políticos?
Se vocês prestarem atenção, podemos quase que afirmar que as grandes conquistas para a cidade vieram da sociedade (des)organizada. Foi assim com a Ulbra, a Uergs, a UAB e agora com a UFSM. Claro que umas, mais do que as outras, tiveram um maior ou menor apoio dos governos. Mas nenhuma dessas iniciativas foi gestada no coração do governo. Nem a UAB. Quero dizer com isso que os nossos governos nos últimos 20 anos têm sido um mero carimbador de recursos, e nunca uma usina de ideias. Isso se dá por uma razão muito simples: nossos políticos têm um horizonte limitado e os seus projetos quase sempre são apenas para os seus mandatos. Mas por que não fazemos mais? Bem, entra aí um outro fator. A baixa estima do cachoeirense. Contenta-se com muito pouco e espera tudo dos políticos. Um amigo meu esses dias foi até a minha casa e teve a capacidade de me chamar de louco por ainda não ter me mudado daqui, justificando a sua argumentação pelos negócios que tenho na capital. Disse-lhe que ganho meu dinheiro lá, mas procuro gastá-lo aqui. Quero os meus filhos aqui, com qualidade de vida, e faço a minha parte participando de alguns coletivos e emprestando um pouco do que sei ao ensino por aqui. Se todos que pudessem fizessem um pouco, por certo que a pauta em 2012 seria outra e jamais discutiríamos quantos vereadores precisaríamos, pois não precisaríamos de nenhum. Autogestão e liberdade são pressupostos para uma sociedade autônoma e, com isso, diminuiríamos cada vez mais o número de parasitas que vivem às nossas custas. Pois é, minhas conversas com outro amigo, o Tiago, estão me deixando um pouco mais anarquista. Fiquei preocupado.

Direita organizada
Apostando nos jovens para dar uma nova cara a algumas ideias retrógradas, a direita local se organiza e se infiltra em muitos partidos. É só olhar a nominata dos novos filiados. Quem são, de onde vêm e quem apoiaram nas eleições presidenciais. Virão com força total no ano que vem.

O voto da juventude
Por onde ando escuto a mesma coisa da maioria dos nossos jovens: no ano que vem vou anular meu voto. Aliás, quem pretende angariar esses votos no ano que vem não se iluda. Vai se decepcionar.
Feira do Livro
Nesse fim de semana começa a feira aqui em Cachoeira. Importante a participação de todos. E não apenas para comprar, mas para se apropriar um pouco da cultura que invade a praça. Imperdível.

Troca de vinil
Nos dias 8 e 9 de outubro, no espaço do Cicloativado, ali no quiosque da Praça Bonifácio, haverá uma feira de troca de vinis. Serão também aceitos descartes de vinis para que se dê o destino adequado. A Associação Cachoeirense do Rock, assim como o coletivo, são os apoiadores. Ah, e não esqueça, deixe o carro em casa e vá de bike!

Cooperativa de catadores
Você que em casa separa o seu lixo, ajude o Município a economizar. Entregue o seu lixo seco diretamente aos cooperativados. Entre em contato com a Maria Helena, lá na Rua Tiradentes, e agende o seu recolhimento. O meio ambiente agradece.

Marlon
O deputado pedetista está preocupado com 2012. Prefere não concorrer, mas tem dito a amigos próximos que não permitirá que Pipa Germanos seja prefeito de novo e, se for preciso, então, irá para o embate.

Beira-rio
Para tirar a Arena do Grêmio do páreo, o Inter prometeu reformar seu estádio com recursos próprios. Custaria R$ 150 milhões, sendo R$ 40 milhões dos Eucaliptos e 110 camarotes a R$ 1 milhão cada. Ingenuidade ou malandragem? Agora empurraram para uma construtora, mas na verdade estão de olho no BNDES. Irresponsáveis. Isso é o mínimo.

Patrimônio histórico
Só para saberem. Um dos melhores cursos de arquitetura da capital e do país tem como objeto de estudo a nossa cidade e a visita anualmente. E ainda ouço pessoas clamando pela construção de torres de vidro. Uma pena. Se morassem em Veneza, desmanchariam as casas velhas e construiriam um porto e um grande shopping.

Nenhum comentário: