jmahfus@hotmail.com

terça-feira, 30 de agosto de 2011

COLUNA DO JORNAL DO POVO

O golpe de 64

Na semana em que relembramos a morte de Getúlio e celebramos o movimento da Legalidade, bom seria que pudéssemos refletir sobre aqueles acontecimentos, mas com uma visão do presente. Se em 1954 o golpe de Estado não se consolidou, foi única e exclusivamente pelo ato heróico do então presidente. Em 1961, quando tentaram impedir a posse de Jango, e só não o fizeram em razão do maior movimento cívico de todos os tempos (a Legalidade), o golpe apenas ficou adormecido, esperando um novo momento. E esse surgiu em 1964, pelo radicalismo de alguns discursos e pela passividade de João Goulart, que sempre acreditou em seu poder de persuasão, até porque foi esse poder que o conduziu até o centro do poder federal. Não o condeno por não querer resistir. Naquele momento, as condições para mais um golpe de Estado estavam dadas. Mais de 40 anos depois percebe-se sorrateiramente que se dissemina um discurso contra as instituições, tendo como alvo preferencial os políticos, colocando-os todos no mesmo patamar. Boa parte da sociedade de hoje sequer sabe o que é viver sob uma ditadura e o que mais me preocupa e amedronta é que escuto que a democracia gera corrupção e como era bom o tempo em que não se precisava votar. Ledo engano. Pois, se por ventura, uma nova ditadura se instalasse no país, por certo todos os corruptos de hoje lá estariam. Ou vocês acham que José Sarney estaria de que lado? Do povo?

Mal-estar
Eunice no PP. D. Jussara no PP. Nada mais são do que notícias plantadas. Embora a executiva estadual do PT não vete coligações com o PP, certa feita em meu escritório, com testemunhas, ouvi de Neiron Viegas: “O PT de Cachoeira não coliga com Germanos, nem com PR de Sartório, nem com DEM e PSDB”. Portanto, se os progressistas entrarem por uma porta, os petistas saem por outra. E GG já oPTou.


Novo blog
Pois é, estreamos mais um espaço de discussão. Agora no site do JP, estarei conversando sobre assuntos relativos ao meio ambiente. Aguardo vocês por lá para sugerirem e criticarem. Estou preparando uma entrevista com os professores C. Tucci e J. Tundisi, cientistas mundialmente renomados quando o assunto tratado é água, para disponibilizar por lá.

América do Sul
Nesta segunda-feira a Faculdade América do Sul, de Novo Cabrais, recebe a última visita do MEC (serão três auditores) para credenciamento da instituição. Os cursos já foram aprovados por duas visitas anteriores de avaliadores. Dessa feita, o objeto são as condições físicas do local. Vestibular será em janeiro, se tudo correr bem.


Por linhas tortas...
Uma das coisas positivas da gestão do GG foi que ele fez, mesmo sem alardear, um governo de concertação, como diz Tarso Genro. Está bem, teve alguns arranca-rabos com um e outro, mas depois buscou consensos e não foi sectário. Ganhamos todos com isso.

Piso do magistério
Governador está, literalmente, comendo de seu próprio veneno. Seu partido insuflou, por vários anos, os setores do funcionalismo público contra os governantes de plantão. E agora, tergiversa. Decisão do STF mandou o Estado pagar o piso ao magistério estadual. Aleluia, salve, salve. Não se faz educação sem salários dignos.

Gre-nal
Grêmio deu um banho de bola nos colorados. Não fosse o juiz e certamente o clássico teria sido vencido ainda mais facilmente. Espero que Roth mantenha essa mesma formação, com Mário de lateral, depois que ele cumprir a suspensão automática. Assim, ao menos, terminaremos dignamente o Campeonato Brasileiro.

Inelegibilidade
A mesma lei que vale para Luciana Genro, impedida até de concorrer a vereadora em função de ser filha do governador, vale para a esposa do prefeito. A não ser que o mesmo renuncie ao mandato.

Um comentário:

Anônimo disse...

Exite uma farra de horas extras na secretaria de obras que até o Acélio e o Tarasconi não sabem e ficam omissos diante da situação. GG nunca vai ter recursos desse jeito e as obras vão parar. Depois diz que não tem recursos para nada. tá na hora do GG acordar!