jmahfus@hotmail.com

quinta-feira, 9 de julho de 2009

JOSÉ OTÁVIO

Estou postando abaixo, mensagem do deputado federal José Otávio Germano, acerca das notícias requentadas da semana:

O meu nome foi novamente referido nos últimos dias na mídia gaúcha, no contexto das acusações que o senhor Lair Ferst, com certa irresponsabilidade, vem fazendo contra a Governadora e alguns membros do alto escalão do governo do Estado.

Segundo essas notícias, eu teria intermediado o repasse de dinheiro de empresas fumageiras para um suposto caixa 2 e estaria sendo informado de todos os movimentos realizados pelas pessoas denunciadas em Santa Maria pelo envolvimento no caso DETRAN.

Para que voce possa verificar a falta de veracidade dessas notícias, repasso-lhe o texto e-mail que recebi do então Secretário da Fazenda, Dr. Aod Cunha, no qual ele esclarece, em definitivo, minha participação em encontro com os diretores de duas empresas fumageiras do RS.



“De: aodcunha@xxxxxxxxxxx
Enviada em: terça-feira, 7 de julho de 2009 17:22
Para: Dep. José Otávio Germano
Assunto: Res: Confirmação

Prezado Deputado,

Sinta-se absolutamente tranquilo para relatar o que a sua memória recorda. Como lhe disse, também posso não ter 100% de certeza deste ou de outro detalhe em função das inúmeras reuniões que eu tinha, apenas a convicção de que jamais foram tratados os fatos relatados pelo Lair e que a reunião se destinou exclusivamente a discussão de problemas econômicos do setor de forma absolutamente correta.

Um abraço,

Aod”



Como se pode ver: não há uma linha sobre arrecadação ou repasse de dinheiro. Apenas encontro para discussão de assunto do interesse da economia do Estado do RS. Não é preciso dizer mais.

Já quanto à alegação de que seria responsável por ter sido o Secretário de Estado da Justiça e da Segurança à época em que o DETRAN celebrou um contrato de prestação de serviços com a FATEC, apenas registro que as manchetes visam apenas requentar notícias velhas. Já prestei todos os esclarecimentos na CPI da Assembléia e também pela mídia, não tendo sido indiciado, processado ou chamado a depor em qualquer órgão administrativo ou judicial sobre esse assunto, porque, efetivamente, nele não tive qualquer interferência, influência ou participação.

No dever de prestar esses esclarecimentos e certo de que posso ainda continuar sendo merecedor da sua confiança e amizade, envio-lhe um forte abraço.

José Otávio

Nenhum comentário: