jmahfus@hotmail.com

segunda-feira, 11 de março de 2013

Mandrake ( originalmente publicada no Jornal do Povo)



Passados noventa dias da posse de fato e mais setenta dias da posse de direito, o governo municipal continua sem definir prioridades em suas secretarias. Há um problema seriíssimo de gestão e, em especial, de governança. Perceberam que até o momento, os temas principais têm sido os de natureza burocrática? Primeiro foi à questão das horas-extras. Agora, o cumprimento de carga horária. É muito pouco. Quando Fazenda e Administração, são os temas centrais de um governo, é porque não existe quase nada ser mostrado, nas pastas que tem contato mais direto com a população. Com exceção de Marta Caminha (que solicitou contratação de médicos e tenta inaugurar a UPA) e de Mariana Carlos (conseguiu criar a Coordenação da Mulher), as demais ações ainda são frutos do governo passado. O bate-cabeça pelo paço é muito grande. Talvez esteja na hora do prefeito, assumir a condução do processo e exigir que cada secretaria apresente metas que deverão ser cumpridas ao longo do semestre. Não precisamos gastar com pessoas que são consumidas pelo aparelho burocrático. O executivo existe para definir prioridades. Sem isso, a máquina pública ainda assim funciona. Dentro do seu tempo e de sua lógica. E parece que os novos inquilinos do paço, resolveram obedecer este padrão. Os mais antigos, por certo, lembram-se daquela brincadeira de criança, chamada Mandrake. Pronunciado o nome, você tinha que ficar imóvel. É mais ou menos o que acontece agora. Os que antes tinham opinião e solução para tudo, tiveram seu nome chamado pela população. Mas estão paralisados. E ninguém gritou “Mandrake”. Ou gritou?

Participação Popular
O governo foi eleito apresentando um único discurso: ouvir a população. Em nenhum programa eleitoral, deixou de se falar em orçamento participativo e consultas populares. Não está na hora de isso acontecer? Ou só ouvirão os conselhos municipais?

Sugestão
Para não dizerem que apenas critico, fica uma dica: transformem a secretaria de governo ( que até agora nãos serviu para nada) em uma secretaria de governança, para gerenciar projetos, atender a população e ser um elo de ligação entre as demais.

Horas-Extras
Depois de todo o estardalhaço feito na imprensa, alguém sabe me dizer se a sindicância foi terminada? E quem, efetivamente, foi culpado disso tudo?

Cuidado
Tem secretário municipal, que foi governo durante quatro anos, indo para reuniões com a sociedade civil e colocando a culpa, pela inércia da administração atual, nos esqueletos que dizem descobrir diariamente e que são obras do GG. Mas é muita cara de pau. Não se esqueçam que a banca paga, mas recebe. E se recebe!

Homofobia
Sabem por que não ouvimos nenhum petista reverberar sua indignação, contra a posse de um homofóbico e racista, e que se diz pertencer a um partido de direita, na CDH da Câmara? Porque o partido dele foi aliado de primeira hora na coligação vencedora. E hoje ocupa cargos na administração. Simples assim!

Agressão
Quando qualquer problema ocorre na esfera pública, a imprensa e os vereadores correm para denunciar o descaso daquele servidor para com a população. Mas quando, alguém entra armado numa unidade de saúde e ameaça servidores, o silêncio impera. Por que será? Isso ainda vai acabar em tragédia.

Carnaval
O sucesso do evento demonstra que a população adora carnaval. E que todo o investimento feito ali, é válido! Palmas para GG que soube resgatar isso em seu governo, a despeito de tantas críticas.

Chávez
Teci inúmeras críticas ao ex-pesidente Venezuela. Mas todas no campo da esquerda. Sem dúvida, morreu o homem e nasceu o mito. E a comoção em seu funeral, que é espontânea, demonstra isso claramente. Deixou sim um legado importante e o maior deles, foi de se contrapor a hegemonia norte-americana.

Esquerda
O maior desafio dos petistas, não é apenas o de fazer um bom governo. Eles têm o compromisso de fazer um governo popular. Se errarem, enterram de vez, qualquer pretensão da esquerda, em assumir novamente o paço municipal.

Nenhum comentário: